Covid-19 baixou mais peso dos PALOP nas exportações de bens

Os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOPtêm perdido cada vez mais peso nas exportações nacionais de bens, de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). 

A Covid-19 agravou os números neste ano, prevendo-se ainda que tal terá igualmente repercussão nos anos seguintes. Isto porque estão previstas contrações económicas para todos os países dos PALOP. 

Cabo Verde, Moçambique, Angola, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe e Guiné Equatorial tiveram peso nas exportações portuguesas de 5,71% em 2015. Já em 2019 essa percentagem tinha diminuído para 3,13%. 

Entre janeiro e agosto foi de pouco mais de 2%, podendo tal manter-se no final do ano. De janeiro a setembro o valor das exportações para os PALOP desceu de 1,4 mil milhões de euros em 2019 para pouco mais de 1000 milhões (menos 19,9%).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

UE sofre mais custos energéticos com sanções à Rússia

UE sofre mais custos energéticos com sanções à Rússia

A Comissão Europeia assumiu nesta quarta-feira, 02 de março, que as sanções da União Europeia (UE) à Rússia vão ter “custos…
EUA querem Rússia fora do Conselho dos Direitos Humanos

EUA querem Rússia fora do Conselho dos Direitos Humanos

Os Estados Unidos da América (EUA) sugerem que a Rússia seja excluída do Conselho dos Direitos Humanos. A proposta foi…
Rússia diz que guerra na Ucrânia não afeta relações com Moçambique

Rússia diz que guerra na Ucrânia não afeta relações com Moçambique

O ministro conselheiro da Rússia em Moçambique, Dimitri Sorokin, garantiu que a guerra na Ucrânia não afeta as relações de…
Descendente de ucranianos, empresário brasileiro lamenta o conflito e diz já sentir impacto nos negócios

Descendente de ucranianos, empresário brasileiro lamenta o conflito e diz já sentir impacto nos negócios

Igor Mazepa Baran tem 57 anos de idade e vive na cidade de Curitiba, no Brasil. É brasileiro com descendência…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin