São Tomé e Príncipe: Governo entrega OGE para o ano económico 2022 a Assembleia Nacional

O Governo liderado pelo Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus entregou, no dia 15 de novembro, na Assembleia Nacional, o Orçamento Geral de Estado e as Grandes Opções de Plano para o ano económico 2022 avaliado em 158 milhões de euros.

O documento foi entregue ao Presidente da Assembleia pelo Ministro do Planeamento, Finanças e Economia Azul, Engrácio Graça e o Ministro do dos Assuntos Parlamentares, Reforma do Estado e Descentralização, Cilcio dos Santos.

Engrácio Graça disse a imprensa que “este orçamento avaliado em cerca de 158 milhões de Euros é suportado em cerca 51% por recursos externos e quase 48, 9% através de recursos internos”.

O responsável de Planeamento, Finanças e Economia Azul acrescentou ainda que “prevê no quadro orçamental um crescimento da economia na ordem de 2,8% do PIB e uma  inflação na ordem 7,5% do PIB”.

Sobre o orçamentado 56,4% destina-se a despesa de funcionamento, 38% para despesas de investimento e 5,3% pata amortização das dívidas. Graça explicou que “quanto ao investimento no Pais, estamos a prever gastar cerca de 20% para o sector das infraestruturas com cerca 20 % seguido da saúde com 16%, educação”.

“Para alavancar a nossa economia é preciso dar uma aposto muito forte nas infraestruturas, sem esquecer os cuidados primários da saúde, tendo em conta os efeitos da Covid-19” – enfatizou Enrácio Graça.

Sobre o reajuste salarial com retroativos a partir de Janeiro, o Ministro foi perentório em responder que “nós estamos a trabalhar, vamos arrancar já o processo de negociações com os parceiros, com sindicato, sobretudo, que é a parte interessada e que representa a classe dos trabalhadores”.

O Ministro apelou a população dizendo que “quero apelar a todos sindicatos que sentemos a mesa para discutirmos o reajuste”, para depois dizer que“ é um processo que tem de ser inclusivo, é um processo que tem de ser analisado, o governo está tomar a sério este processo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin