Guiné-Bissau

Artur Silva apresenta a demissão e deve agora dar lugar a Augusto Olivais

Artur Silva, recém-nomeado Primeiro Ministro da Guiné-Bissau, terá ao início da tarde de ontem apresentado o seu pedido de demissão ao presidente da república José Mário Vaz. Apesar da informação não ter tido ainda confirmação oficial, a e-global sabe que na origem da decisão de Artur Silva estará a incapacidade de formar Governo com as forças partidárias signatárias do Acordo de Conacri.

Recorde-se que desde a tomada de posse de Artur Silva, realizada a 31 de janeiro, todos os signatários do Acordo de Conacri manifestaram publicamente a sua indisponibilidade para integrar um Governo que não fosse resultado do referido acordo, o qual prevê a nomeação de um nome de consenso para o cargo de primeiro ministro. De acordo com posições públicas de responsáveis da CEDEAO e a União Africana, esse nome de consenso é Augusto Olivais.

Devido exactamente à não implementação do Acordo de Conacri como saída para a crise política que assola a Guiné-Bissau há quase três anos, a CEDEAO anunciou no início de fevereiro uma lista de sanções a 19 personalidades guineenses.

Face à forte pressão da CEDEAO para a resolução da crise política, é esperado que durante a próxima semana, José Mário Vaz nomeie Augusto Olivais como Primeiro Ministro, situação que permitiria o levantar das sanções internacionais que abrangem, entre outros, o próprio filho do presidente, Herson Vaz.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo