Bissau acolhe Seminário aberto sobre Cooperação Internacional e Estado de Direito

Realiza-se a 13 de fevereiro de 2020, em Bissau, no Coimbra Hotel, o Seminário sobre Cooperação Internacional, Governação e Estado de Direito que tem por objetivo debater os mecanismos da cooperação internacional e a adequação das agendas das organizações internacionais aos contextos e prioridades de cada país.

A sessão de abertura, presidida pela Ministra da Justiça e dos Direitos Humanos da República da Guiné-Bissau, Ruth Monteiro, tem início às 8h30, sendo que o seminário conta com a participação de membros de instituições locais e internacionais.

O Seminário sobre Cooperação Internacional, Governação e Estado de Direito visa refletir sobre o envolvimento local e nacional na construção das agendas de cooperação internacional, bem como o impacto nas reformas da Justiça.

Esta atividade é antecedida pelo segundo e último Encontro de Conhecimento e Partilha de Experiências/Boas Práticas, nas áreas do combate à corrupção, ao branqueamento de capitais e ao tráfico de estupefacientes, a ter lugar em Bissau, no dia 12 de fevereiro. À semelhança dos seminários abertos, também a segunda edição destes encontros vai acontecer em Angola, Cabo Verde, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste durante o corrente ano.

De acordo com o Índice de Perceção da Corrupção relativo a 2019, divulgado pela Transparência Internacional, todos os países beneficiários do PACED melhoraram a sua posição. Este ranking avalia 180 países de acordo com os níveis de perceção da corrupção no setor público.

O PACED tem como objetivos a afirmação e consolidação do Estado de Direito nos PALOP e Timor-Leste, assim como a prevenção e luta contra a corrupção, o branqueamento de capitais e a criminalidade organizada, em particular, o tráfico de estupefacientes. As atividades centram-se no reforço da capacidade institucional das autoridades competentes ao nível legislativo, executivo e judiciário, promovendo o intercâmbio, a partilha de conhecimento e de boas práticas.

Com duração até dezembro de 2020, o PACED tem um orçamento global de 8,4 milhões de euros (7 milhões financiados pela União Europeia ao abrigo do 10.º Fundo Europeu de Desenvolvimento e 1,4 milhões de euros pelo Camões -Instituto da Cooperação e da Língua, I. P.), dos quais 8,05 milhões de euros administrados diretamente pelo Camões, I. P.

Esta iniciativa é promovida no âmbito do PACED-Projeto de Apoio à Consolidação do Estado de Direito nos PALOP e Timor-Leste, fruto dos laços de cooperação entre aqueles países e a União Europeia na área da justiça. Tem organização do Observatório Permanente da Justiçado Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, de Portugal, em parceria com a Universidade Amílcar Cabral, da Guiné-Bissau, e o apoio da RTP África.

Este será o primeiro de seis seminários abertos à sociedade civil a terem lugar nos PALOP e em Timor-Leste ao longo de 2020.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Guiné-Bissau: Professores e técnicos da saúde em protesto inundam centro de Bissau

Guiné-Bissau: Professores e técnicos da saúde em protesto inundam centro de Bissau

A “Frente Social”, que agrupa sindicatos dos sectores da educação e de saúde realizou esta terça-feira 27 de Setembro uma…
Moçambique: XII Congresso da Frelimo encerra um dia mais cedo

Moçambique: XII Congresso da Frelimo encerra um dia mais cedo

O XII Congresso da Frelimo começou na passada sexta-feira, 23 de setembro, e iria terminar na quarta-feira, dia 28. No…
Cabo Verde: Donativos internacionais desceram mais de 30%

Cabo Verde: Donativos internacionais desceram mais de 30%

O Ministério das Finanças de Cabo Verde registou uma queda de 30% nos donativos internacionais recebidos até julho, comparativamente ao…
Angola: Secretário do MPLA no Rangel vigiado pelo SINSE

Angola: Secretário do MPLA no Rangel vigiado pelo SINSE

O primeiro secretário distrital do Rangel do MPLA, Josué Gourgel, está a ser vigiado pelo Serviço de Inteligência e Segurança…