Guiné-Bissau

Carlos Gomes Júnior pode ser “candidato” às próximas eleições presidenciais na Guiné-Bissau

Carlos Gomes Júnior

Carlos Gomes Júnior, antigo primeiro-ministro, exilado em Portugal há 5 anos, na sequência do Golpe de Estado que o afastou do poder e da corrida presidencial, na segunda volta, em 2012, regressou quinta-feira ao país.

Acolhido por uma grande multidão à sua chegada no aeroporto internacional “Osvaldo Vieira”, o antigo primeiro-ministro e Presidente do PAIGC, disse aos jornalistas que “caso for convidado”, vai concorrer as próximas eleições presidenciais em 2019: “Se me for convidado, não há problema”, sublinhou o antigo primeiro-ministro esboçando um sorriso.

Carlos Gomes afirma, por outro lado, ter a vontade de trabalhar para a “reconciliação nacional”, isto quando um grupo de familiares das vítimas dos assassinatos políticos durante o seu regime, insurgiram-se publicamente esta quarta-feira contra o regresso de “CADOGO”, solicitando, por outro lado, uma responsabilização judicial contra o antigo candidato presidencial.

“Eu penso que a reconciliação é possível. Podemos ter vários partidos, termos as nossas divergências, mas temos que nos aceitar na nossa diversidade”, disse o ex-candidato presidencial em 2012.

Carlos Gomes Júnior chegou ao país numa altura em que a situação política está tensa, em virtude a crise que dura há mais de dois anos.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo