Guiné-Bissau

Governo pretende suspender moratória sobre proibição de cortes de madeiras

O Governo da Guiné-Bissau, através da Secretaria de Estado de Florestas e Pecuária, perspetiva levantar o período de moratória de 5 anos em vigor no país desde 2014 relativamente à proibição de corte de madeiras em todo o território nacional.

A notícia foi avançada a e-Global por uma fonte ligada aos ambientalistas guineenses que adiantou que a decisão deveria ser tomada esta quinta-feira 9 de fevereiro em reunião convocada pela Secretária de Estado de Florestas e Pecuária, Maria Evarista de Sousa.

Para a reunião, que ficou adiada para 10 de fevereiro, e é aguardada com muita expectativa pelos ambientalistas, também foram convidados a Direção-geral das Florestas, Instituto de Biodiversidades e das Áreas Protegidas (IBAP), bem como técnicos do Ministério da Agricultura ligados a política florestal na Guiné-Bissau.

De acordo com a nossa fonte, a decisão de Maria Evarista de Sousa surge na sequência de uma visita que a Secretária de Estado efetuou recentemente no interior do país, concretamente nas regiões da província norte e leste, e onde terá constado a queda das receitas provenientes da exploração dos recursos florestais. “Estamos preocupados com esta intenção, porque há 2 anos desde que foi anunciada a moratória, nada foi feito em termo de inventariado florestal, e ainda temos um setor de floresta não organizado pelo próprio Governo”, lamentou a nossa fonte.

Os técnicos ambientalistas referiram também que a um levantamento de moratória em vigor há 2 anos, passa pela organização do setor tendo em conta o interesse das partes e os operadores no setor de corte e exportação de madeiras na Guiné-Bissau.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo