Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: 4.298 cidadãos foram impedidos de votar nas legislativas devido a erros técnicos

Arquivo

O Ministério da Administração Territorial e Gestão Eleitoral, com a Secretaria de Estado da Gestão Eleitoral, apresentaram esta sexta-feira 20 de Setembro os resultados parciais da implementação do plano operacional para a consolidação do registo eleitoral para as presidenciais.

O Governo, através do Ministério da Administração Territorial e Gestão Eleitoral, organizou o início das Correcções das Omissões do Caderno Eleitoral, a partir do dia 17 de Agosto de 2019 em todo país. Uma operação orientada para os cidadãos impedidos de votar nas ultimas eleições, devido a erros técnicos.

Para a ministra da Administração Territorial e Gestão Eleitoral, Maria Odete Costa Semedo, os políticos têm um papel crucial, exercendo o seu trabalho cívico, chamando atenção aos cidadãos para a união, e implementação da democracia, e sublinhou que o seu ministério, como responsável máximo destes dados, vai continuar a trabalhar até ao fim, para permitir que todos os cidadãos possam exercer o seu direito.

O secretário de Estado de Gestão Eleitoral da Guiné-Bissau, Júlio César Nosoline, acrescentou ainda que não existe nenhum consenso, junto dos partidos políticos, sobre a ideia da correcção das omissões dos cadernos eleitorais, mas caso não houver, o Governo voltará a utilizar os cadernos utilizados nas legislativas nas eleições presidenciais de 24 de Novembro legislativas, impedindo 4.298 cidadãos de cumprirem o seu dever e direito cívico.

Laurena Carvalho Hamelberg

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo