Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: Acordo entre Nuno Nabiam e Sissoko provoca crise na APU-PDGB

Caramba Turé

A Assembleia de Povo Unido – Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB), esclareceu esta quinta-feira 5 de Dezembro 2019, que o acordo assinado a 3 de Dezembro em Dakar em que Nuno Nabiam apoia o candidato Umaro Sissoko Embaló na segunda volta das eleições presidenciais marcadas para 29 de Dezembro, “apenas vincula Nuno Nabiam”.

Em comunicado de imprensa, com a data do dia 4 de Dezembro 2019, a APU-PDGB apela os seus militantes a não se associarem em quaisquer actividades de campanha eleitoral à luz do referido acordo que, entre outros pontos, não foi submetido a discussão democrática nos órgãos do partido estatutariamente competentes.

“APU-PDGB não é a parte nem testemunha do acordo celebrado entre o candidato a segunda volta das eleições presidenciais do dia 29 de Dezembro 2019, Umaro Sissoko Embaló, firmado com o ex-candidato presidencial Nuno Nabiam”, esclarece a nota.

Por fim, o documento assinado por os cinco vice-presidentes da APU-PDGB e a sua direcção do Secretariado Nacional, nomeadamente Mamadú Saliu Lamba, Armando Mango, Joana Kobdé Nhanca, Fatumata Djau Baldé, Batista Té e Juliano Fernandes, diz que esta formação política defende a manutenção do respeito do acordo de incidência parlamentar e de estabilidade governativa assinado a 12 de Março deste ano com o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), que tem como o objectivo estabilizar a governação e o desenvolvimento da Guiné-Bissau.

Também o Conselheiro Principal do Nuno Nabiam e membro da Comissão Permanente da APU-PDGB, Caramba Turé, demitiu-se das suas funções pelos mesmos motivos.

Numa carta de pedido de demissão assinada por Caramba Turé de 5 de Dezembro, refere que o curso dos últimos acontecimentos políticos no país deixa muito a desejar enquanto Nuno Nabian presidente da APU-PDGB.

Na mesma carta, o demissionário Conselheiro Principal do Nuno Nabiam disse que a situação agravou-se ainda mais, quando Nuno assinou em Dakar um acordo de apoio a Umaro Sissoko Embaló na segunda voltas das eleições presidenciais sem ter consultado Caramba Turé, enquanto o seu conselheiro, muito menos o partido, sublinhando que: “Aliás, a tua postura já se transformou em hábito de nunca ter consultado ninguém em assuntos do género”, lê-se na carta.

Caramba Turé confirma também que o pedido de apoio e consequente acordo assinado em Dakar, não foram objectos de discussão e nem aprovação dos órgãos estatutários da APU-PDGB. “Este acordo assinado no estrangeiro, levanta muita suspeição quanto a sua bondade e interesse dos seus padrinhos”, refere na carta.

© e-Global Notícias em Português
1 Comentário

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo