Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: Aly Silva raptado e espancado por desconhecidos fardados

GB Aly Silva Espancado

O jornalista e blogger guineense António Aly Silva, foi raptado esta terça-feira 9 de Março por homens fardados e encapuçados. Inicialmente levado para a zona de Bolola, na periferia de Bissau, foi posteriormente transportado para Alto Bandim onde terá sido espancado e abandonado. Várias feridas, hematomas e sangue testemunham a violência de que António Aly Silva foi alvo.

Segundo o testemunho de António Aly Silva, foi interpelado e atacado por quatro homens armados que o levaram para as zonas onde foi espancado e abandonado, tendo sido recolhido por locais. Sem designar os autores da acção, Aly Silva sublinhou que o Presidente Sissoco Embaló várias vezes o ameaçou quando não apreciava alguma publicação no seu Blogue.

“Tenho sido ameaçado e acho que concretizaram a ameaça”, disse António Aly Silva que lembrou um episódio no qual discutiu com Sissoco Embaló sobre presumíveis pagamentos ilícitos, e no final da conversa, desafiou o Chefe de Estado a o raptar e espancar. “Naquela conversa respondi-lhe com raiva e ele desligou o telefone. Jamais me ligou”, contou Aly Silva. “Não sei em que país estamos. Nos últimos tempos prometeram pôr-me no meu lugar. Acho que conseguiram”, disse.

Com a excepção da Liga Guineense dos Direitos Humanos (LGDH), e algumas criticas através das redes sociais, ainda nenhuma organização ou instituição condenou o acto contra Aly Silva. O silêncio das autoridades da Guiné-Bissau é total. Não obstante ter sido confirmada, através de imagens captadas no momento dos acontecimentos, a presença de homens fardados.

Se oficialmente as reacções não existem, nas redes sociais não faltam e não escondem revolta e críticas contra o actual poder. O ex-jornalista da TGB, Tegna Na Fafé, escreveu na sua página Facebook que “é fácil raptar e espancar um homem… difícil é mudar a sua convicção”. Outro activista, não tem dúvidas que, Aly Silva foi vítima da incompetência e “desgovernação”. A Guiné-Bissau “sempre foi governada por ignorantes e corruptos, a desgovernação que estamos assistir hoje é apenas a continuidade dos mesmos de sempre. Minha solidariedade para com o jornalista, Aly Silva”, escreveu Raúl Mendonça, um estudante guineense no estrangeiro.

Depois de exibir aos jornalistas um vídeo sobre o estado de Aly Silva, a LGDH denunciou rapto, espancamento e abandono da vitima, condenou com firmeza o acto e exige das autoridades nacionais a abertura de um inquérito urgente para identificar e traduzir à justiça os seus autores.

“A Liga Guineense dos Direitos Humanos registou com bastante preocupação as informações que dão conta que o jornalista e Editor do Blog Ditadura e Consenso, António Aly Silva foi sequestrado, espancado e abandonado numa das artérias de Bissau”, refere a LGDH na sua página oficial.

“Neste momento o jornalista está a receber tratamento médico numa clínica privada em Bissau. A LGDH já contactou as autoridades policiais que afirmaram desconhecer as circunstâncias que rodearam este acto criminoso”, lê-se ainda na página oficial da Liga.

Na manhã de 9 de Março, o jornalista militante Aly Silva difundiu no seu blogue uma publicação em que é anunciada uma manifestação a 27 de Março da juventude guineense contra o presidente senegalês. No cartaz da convocatória, publicado no blogue de Aly Silva, consta a imagem de Umaro Sissoco Embaló a cumprimentar o presidente senegalês o qual tem tem sido confrontado com fortes protestos após a detenção do opositor senegalês, Ousmane Sonko, que devido à forte pressão popular foi libertado no início da tarde de 8 de Março.

Aly Silva nunca escondeu as suas preferências partidárias, bem como sua manifesta oposição contra o actual presidente guineense.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo