Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: Assessor de Botche Candé qualifica jornalistas de “bêbados e delinquentes”

GB Botche Candé
Botche Candé (Arquivo)

O gabinete de Assessoria do ministro do Interior da Guiné-Bissau, Botche Candé, acusou o sindicato dos jornalistas de uma postura tendenciosa na abordagem dos assuntos relacionados com o comportamento negativo dos seus associados.

Em conferência de imprensa promovida pelo Ministério do Interior, para reagir às denúncias anónimas de presumíveis actos de assédio sexual a novos recrutas, por parte das suas chefias, uma matéria que ocupou os espaços da comunicação social guineense, Maquilo Baio, assessor do ministro, qualificou os jornalistas de “bêbados e delinquentes”, e alguns comentadores de “perturbados mentais”.

O mesmo assessor acusou o sindicato de ser cúmplice, por não prestar a devida atenção ao respeito às regras deontológicas dos seus associados, e estar sempre disponível para os defender em caso de reacção do suposto lesado.

“É preciso que aprendam que, a defesa não se faz apenas na recta final, quando o associado sofre com a reacção da vítima. É preciso que em todas as etapas do conflito que o sindicato deixe de forma inequívoca a sua posição. Mas não é assim que se comportam no sindicato dos jornalistas na Guiné-Bissau. São tendenciosos e só defendem os seus associados”, acusou Maquilo Baio.

Para os jornalistas guineenses as declarações do responsável da comunicação de Botche Candé foi um ataque violento e intimidatório contra a imprensa, visando especialmente os programas matinais das rádios Capital FM e Bombolom FM.

Aliu Maquilo Baio, que se assume como homem de confiança de Botche Candé, disse que muitos jornalistas actuam à margem das regras deontológicas, porque fazem tudo para agradar alguns políticos. Tendo destacado que o dono da Rádio Bombolom FM, Agnelo Regalla “é o menino de recados do presidente do PAIGC, Domingos Simões Pereira”.

Maquilo Baio disse também que não tinha dúvidas de que todo o trabalho que se faz nas duas estações de rádio, Capital FM e Bombolom FM, tem como objectivo agradara Domingos Simões Pereira.

“Na Rádio Bombolom o apresentador do programa matinal dá-se ao luxo de levar para efeitos de comentários um louco. Marcelino Intupé é um perturbado mental. Uma pessoa que agrediu a mãe; que desmentiu um pastor na igreja e agrediu o professor na escola. Uma pessoa de mente entupida que insistentemente chama o ministro Botche Candé de analfabeto. Doravante todos estes delírios acabaram. Sempre que atacarem ao ministro, nós vamos atacar”, garantiu Aliu Maquilo do gabinete de Botche Candé. “O jornalista que o convida é um cúmplice, porque combinam o que devem falar”, acrescentou.

Sobre o assédio aos novos recrutas, Walter Sucuma Morais também do gabinete de Botche Candé , disse que o autor das acusações terá de “provar as suas afirmações na justiça”.

Num tom mais ameaçador, o assessor de imprensa, Aliu Maquilo disse que “os jornalistas devem saber que, se têm microfones, os outros também dispõem dos seus instrumentos”.

© e-Global Notícias em Português
1 Comentário

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo