Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: Braima Camará chocado com as nomeações interinas de dirigentes da Administração Pública

Braima Camará

O Coordenador Nacional do Movimento para Alternância Democrática (MADEM-G15), Braima Camará, está chocado com as nomeações interinas de pessoal dirigente da Administração Pública guineense a serem feitas, neste momento, pelos ministros e secretários de Estado na Guiné-Bissau.

Na semana passada, o Secretário de Estado dos Transportes e Telecomunicações, Samuel Denis, exonerou e nomeou interinamente o Director-geral de Viação e Transportes Terrestres, da Administração dos Portos da Guiné-Bissau, e do Instituto Marítimo Portuário. A mesma nomeação foi feita pelo Ministro do Interior, Juliano Fernandes, que exonerou Armando Marna, comandante geral da Guarda Nacional, nomeando interinamente o Comodoro Agostinho Sousa Cordeiro para as mesmas funções.

Mas também, as nomeações levadas a cabo pelo ministro da Economia e Finanças, Geraldo Martins, que exonerou e nomeou interinamente os directores-gerais das Alfandegas e das Contribuições e Impostos.

Na abertura da reunião extraordinária da Comissão Política, esta quarta-feira 07 de Agosto, Braima Camará disse que o povo tinha a expectativa de que o novo governo vai trabalhar para melhorar as suas condições de vida, mas o que se está a assistir na Guiné-Bissau é “uma anarquia total”, argumentando que se vê “despachos de ministros a revogar decretos de Conselho de Ministros, Secretários de Estado a desautorizarem os ministros e o primeiro-ministro, primeiro-ministro a usurpar competências”.

Sobre as primárias do MADEM-G15, Braima Camará disse estar convicto de que em cada momento de grande decisões, o seu partido sai “mais unido, coeso, forte, determinado para enfrentar quaisquer desafios”, alertando os membros do Conselho Nacional sobre a necessidade de não permitirem que saiam divididos e que continuem a devolver a esperança ao povo, confiança de que a Guiné-Bissau tem uma alternativa credível: o MADEM G15.

“O povo não vai nos perdoar, porque está a registar, a tomar notas, a identificar par e passo o comportamento de cada actor político guineense. Está a acompanhar e a observar o desempenho de cada partido político no país”, sublinhou, lembrando que “nós dissemos que vamos fazer uma oposição responsável e construtiva, para provar mundo que somos a parte de solução para os problemas do país e não a parte do problema”.

Por outro lado, Braima Camará disse que alguns actores responsáveis e membros da comunidade internacional lhe disseram que o MADEM- G15 surpreendeu-os pela positiva e que não esperavam que o seu partido assumisse essa “postura”, depois das eleições legislativas, garantindo que vão continuar a fazer uma oposição responsável e construtiva.

Entretanto, inicia esta tarde, às 15:00 horas, num dos hotéis da capital, a reunião extraordinária do Conselho Nacional do MADEM-G15, na qual deverá ser escolhido o candidato que contará com o apoio da segunda força política no país nas eleições presidenciais de 24 de Novembro.

Tiago Seide

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo