Guiné-Bissau: Comunidade Internacional insiste no cumprimento do calendário eleitoral

Uma missão conjunta internacional composta por Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), União Africana (UA), Nações Unidas (ONU) e Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), insistiu que a eleição presidencial na Guiné-Bissau deverá ter lugar na data prevista, 24 de Novembro, e caso houver segunda volta que decorra a 29 de Dezembro. A missão conjunta defende que as eleições presidenciais devem ser realizadas até o final deste ano, o escrutínio deverá ser organizado pelo governo que saiu das eleições legislativas de Março (PAIGC), e os cadernos eleitorais a utilizar serem os mesmo do escrutínio anterior, caso não exista consenso de todos os intervenientes para a introdução das omissões.

O líder da oposição guineense (MADEM-G14) lamentou o silêncio da comunidade internacional perante propostas proferidas por partidos políticos e candidatos às presidenciais sobre os preparativos das eleições na “perspectiva da prevenção de qualquer conflito pré-eleitoral e pós-eleitoral”. Alegando também que a Constituição da República não está a ser respeitada.

Laurena Carvalho Hamelberg

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Banco de Portugal fala de poucos oligarcas russos visados pelas sanções

Banco de Portugal fala de poucos oligarcas russos visados pelas sanções

O Banco de Portugal (BdP) instruiu os bancos para congelarem as contas de oligarcas russos, no âmbito das sanções aplicadas…
Moçambique: Deslocados autorizados a regressar a Mocímboa da Praia

Moçambique: Deslocados autorizados a regressar a Mocímboa da Praia

A Secretaria Distrital de Mocímboa da Praia, vila moçambicana da província de Cabo Delgado, informou as autoridades do distrito de Palma…
Guiné-Bissau satisfeita com a visita do primeiro-ministro português António Costa

Guiné-Bissau satisfeita com a visita do primeiro-ministro português António Costa

“A visita do primeiro-ministro [português] deixou os guineenses contentes. Portugal é um país irmão e não um amigo da Guiné-Bissau”,…
Ucrânia: Lviv não consegue acolher mais refugiados

Ucrânia: Lviv não consegue acolher mais refugiados

O presidente da Câmara de Lviv, Andriy Sadoviy, informou à “Reuters” que a cidade esgotou a sua capacidade para acolher…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin