Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: Demissão do Alto-comissário para a Peregrinação a Meca, Botche Candé

(c) Alymo, Pixabay

O Alto-comissário para a Peregrinação a Cidade Santa de Meca, Botche Candé, demitiu-se das suas funções. Numa carta endereçada esta terça-feira, 06 de Agosto, ao primeiro-ministro, Aristides Gomes, que e-Global teve acesso, Botche Candé sustentou a sua decisão em como os candidatos à peregrinação que investem para deslocarem-se à cidade Santa de Meca não podem continuar a “sofrer, ou melhor sacrificarem, por razões alheias”, por esse motivo considera que não tem “condições de continuar a desempenhar as funções de Alto-comissário para a Peregrinação”.

“Embora decidi unilateralmente pôr o cargo à sua disposição, continuarei, integralmente, a colaborar com o Alto Comissariado para que possa cumprir todos os compromissos assumidos, até ao fim da peregrinação deste ano 2019” escreveu Botche Candé, lembrando que, desde que a Guiné-Bissau assumiu levar os candidatos a Meca, foi o “primeiro e único comissário” que, até à presente data, conseguiu cumprir as obrigações, de levando mais de 751 peregrinos à cidade Santa de Meca.

“No mandato do ex-presidente da República, o falecido Koumba Yala, no primeiro ano deslocaram-se mais de 751 peregrinos, e, no segundo ano, 1.500 peregrinos. No mandato do ex-presidente da República, o falecido João Bernardo Vieira, mais de 751, e no mandato do ex-presidente da República, o falecido Malam Bacai Sanha mais de 751. Finalmente, no mandato do Presidente da República, José Mário Vaz, no primeiro ano deslocaram-se 500 peregrinos, no segundo, 1.251 peregrinos, e no terceiro ano, 1.251 peregrinos” lê-se na carta.

O Alto Comissário para a Peregrinação a Cidade Santa de Meca, Botche Candé, demitiu-se das suas funções numa altura em que o primeiro-ministro, Aristides Gomes, exige a realização da auditoria dos fundos geridos pelo Alto Comissariado para a Peregrinação em 2018. Aristides Gomes exige também a liquidação do financiamento de 940 milhões de francos Cfas concedidos em Agosto de 2018 pelo Banco da África Ocidental (BAO) ao Alto Comissariado, com aval do Ministério da Economia e Finanças.

Entretanto, na Guiné-Bissau, o último grupo de candidatos à peregrinação, composto por 500 peregrinos, vai deixar o país esta quarta-feira, 07 de Agosto, com o destino à Arábia Saudita para o cumprimento do quinto pilar do Islão.

Tiago Seide

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo