Guiné-Bissau: DEMOS revela que 64% dos guineenses sentem-se abandonados pelo Estado

Os resultados da pesquisa da opinião pública efetuada em julho na Guiné-Bissau pelo Centro para a Democracia, Criatividade e Inclusão Social (DEMOS), intitulada “Vozes do Povo”, concluiu que 64% dos guineenses dizem que se sentem abandonados pelo Estado, enquanto 28%, afirmam sentirem-se protegidos, com o números de indecisos a cifrar 6% e as pessoas que não sabem ou não responderam estimadas em 25%.

No contexto de corrupção, a investigação do DEMOS indica que as pessoas que acreditam que todos, ou a maioria dos dirigentes estão envolvidos em corrupção, com os dirigentes políticos apontados por 59% dos inquiridos, funcionários das finanças 53%, deputados 51%, juízes e magistrados 43%, polícias 41%, jornalistas 35% e os líderes religiosos 18%.

Relativamente às pessoas que pagaram subornos para obter serviços do Estado, tal como para a obtenção de documentos oficiais, o estudo revela que 27% dos guineenses confirmaram casos nos hospitais 14%, policias 28% e nos tribunais 32% de pessoas que reconheceram terem pago subornos para obter serviços do Estado.

Por outro lado, o DEMOS interroga até que ponto um guineense acha que o Governo está a gerir bem ou mal a luta contra a corrupção. 78% dos guineenses consideram que gere mal, e 16% com uma opinião positiva, restando 6% que não sabem ou não responderam.

Outra questão prende-se com o número de vezes que os políticos cometem crimes e ficam impunes, os interrogados que responderam que “sempre” ou “muitas das vezes” são estimados em 45%, os que disseram “raras vezes” ou “nunca” 48% e 7% para os que não sabem ou não responderam.

Relativamente ao grau de democracia existe atualmente na Guiné-Bissau, 43% dos guineenses disseram que a Guiné-Bissau tem uma democracia com grandes problemas, 11 negaram que não é uma democracia, com 14 % a dizer que é uma democracia com pequenos problemas, enquanto 7% dos guineense concordaram que na Guiné-Bissau existe uma democracia completa e 25% não entenderam a questão, não sabem ou não responderam.

A pesquisa levantou questão aos guineenses sobre em que grau se sente satisfeito com a maneira como está a funcionar a democracia na Guiné-Bissau, 77%, responderam que pouco ou nada sentem satisfeitos, 8% responderam que muito ou bastante satisfeitos e enquanto 15% dos guineenses não sabem ou não responderam.

Sobre a defesa do direito a organizar manifestações e marchas de protesto, os que responderam que Governo não pode restringir representam 75% dos inquiridos, que o Governo deve restringir 18%, nem um nem outro 2% e não sabem ou não responderam 5%.

Quanto a importância da pluralidade de partidos políticos para uma democracia, também houve variações nas respostas, em que 33% consideram que os partidos criam divisão e são desnecessários, 61 %, afirmaram que vários partidos são necessários, os que não defendem uma posição ou outra são 2% e aqueles que não sabem ou não responderam 5%.

Esta sondagem de opinião pública tinha como objetivo, conhecer o que pensa a população da Guiné-Bissau sobre a vida pública do país, utilizando um instrumento científico para explorar uma dimensão da realidade social do país e gerar informações importantes para a formulação de estratégias de desenvolvimento, mas também facilitar a reflexão e o autoconhecimento do país e por último dar voz e ouvir as vozes do povo da Guiné-Bissau. Os questionários desta pesquisa foram baseados no Afrobarometer.

Sumba Nansil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Angola: Chivukuvuku vai candidatar-se à Vice-Presidência da República

Angola: Chivukuvuku vai candidatar-se à Vice-Presidência da República

O político Abel Chivukuvuku, atualmente vice-coordenador da Frente Patriótica Unida (FPU), declarou em entrevista que vai ser o candidato dessa…
Afeganistão: Mulheres proibidas de viajar sem companhia de homens

Afeganistão: Mulheres proibidas de viajar sem companhia de homens

O regime talibã no Afeganistão lançou novas medidas, sendo estas, mais uma vez, contra a liberdade feminina. As mulheres são…
Revista de Imprensa Lusófona de 27 de dezembro de 2021

Revista de Imprensa Lusófona de 27 de dezembro de 2021

No Brasil “O Globo” refere que o “Partido de Bolsonaro ataca ditadura em curso de formação política para filiados e…
Cabo Verde: TACV retoma voos a 27 de dezembro

Cabo Verde: TACV retoma voos a 27 de dezembro

A companhia aérea TACV – Cabo Verde Airlines vai retomar os seus voos nesta segunda–feira, 27 de dezembro. As primeiras…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin