Guiné-Bissau | Segurança

Guiné-Bissau: Diretora-geral da PJ reconhece “melhorias significativas” no combate ao narcotráfico

Arquivo

A Diretora-geral da polícia judiciária (PJ), Filomena Lopes, disse, esta quinta-feira 24 de janeiro, que a Guiné-Bissau conheceu em 2018 “melhorias significativas” na luta contra tráfico de droga, graças à tomada de consciência coletiva, por parte dos atores civis e governamentais, das consequências “nefastas e do terrível impacto” sobre a imagem do país, a segurança nacional, a consolidação da paz e a estabilidade política.

Contudo, Filomena Lopes considera que os riscos de tráfico de droga continuam a ser elevados, à semelhança das ameaças que enfrentam os demais países da sub-região, sendo assim necessário reforçar os meios materiais e financeiros para uma luta eficaz e a consequente optimização de resultados alcançados em 2018.

Em conferência de imprensa, fazendo um balanço das ações desenvolvidas pela PJ em 2018, a Diretora-geral da PJ insistiu na necessidade de o país combater as redes criminosas que tentam aproveitar-se das fragilidades políticas, institucionais e das vulnerabilidades ligadas ao posicionamento geográfico do país para fazer o tráfico de drogas.

Filomena Lopes realçou também que o combate à corrupção foi uma das ações prioritárias da PJ em 2018, adiantando que, durante os últimos seis meses, foram abertos 30 inquéritos preliminares, sendo 70 por cento de casos concluídos e remitidos à instância competente e restantes em fase avançada.

Para 2019, Filomena Lopes destacou o reforço de ações operacionais no combate à corrupção, avançando em estão em curso investigações sobre o tráfico internacional de passaportes diplomáticos da Guiné-Bissau e investigação à criminalidade no Instituto Nacional de Segurança Social.

Por fim, a Diretora-geral da PJ reiterou a determinação da sua instituição no “combate sem trégua ao tráfico ilícito” de droga na Guiné-Bissau.

Os dados da PJ apontam para 3582 ocorrências criminais em 2018, entre as quais 50 homicídios, 456 ofensas corporais, 492 casos de roubo, 987 casos de furto, 45 abusos sexuais, 101 violência doméstica, 19 apreensões de cocaína.

Entretanto, a PJ procedeu, esta quinta-feira, 24 de janeiro, à incineração de 27 quilos e 996 gramas de cocaína, 500 quilogramas de canabis e 500 mil medicamentos falsos.

Tiago Seide

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo