Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: Enfermeiros e Técnicos de Saúde anunciam paralisação de seis dias

Foto de Samba M. Balde (Arquivo)

O presidente do Sindicato Nacional dos Enfermeiros e Técnicos de Saúde e Afins (SINETSA) durante uma conferencia de imprensa esta quinta-feira, 8 de Outubro, acusou o governo guineense de “não querer melhorar o sistema de saúde público no país”.

Ao anunciar mais uma greve de seis dias no sector da saúde guineense, que terá início esta quinta-feira, Ioio João Correia responsabilizou o governo de Nuno Nabiam pela situação.

“O governo não está a fazer nada para a melhoria das condições de trabalho dos técnicos de saúde. Por isso, iniciamos hoje (quinta-feira) mais uma vaga de greve para exigir os pagamentos dos salários, os subsídios do isolamento e de vela, aos técnicos (de saúde)”, disse o sindicalista.

O presidente do SINETSA acusou ainda o executivo de Nabiam de “falta de vontade” em atender às suas reivindicações, tendo em conta que o sindicato tinha dado o benefício da dúvida ao governo”, mas nada foi feito.

O sindicalista disse ter “dúvidas” se os donativos recebidos pelo Ministério da Saúde Pública, no âmbito da luta contra a Covid-19, estão a ser aplicados no sector.

Nas reivindicações dos técnicos de saúde estão os pagamentos de 16 meses de salários ao pessoal contratado, quatro meses de salários aos técnicos que trabalham no serviço pediátrico, 34 meses de subsídios de isolamento e 24 meses de subsídios de vela aos técnicos de saúde.

Milena Quibina

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo