Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: Governo aposta na fiscalização para impulsionar a economia

O Ministro da Economia e Finanças da Guiné-Bissau, Geraldo Martins, disse que a Direcção Geral das Alfândegas (DGA) tem como objectivo melhorar a eficiência do seu funcionamento e aumentar as receitas, sem aumentar as taxas e os impostos.

Mas para melhoria dos procedimentos dos processos e fluxos, “significa que é necessário melhorar o rendimento”, lembrando que os procedimentos alfandegários que eram vinte e quatro (24), actualmente baixaram para nove (9).

Geraldo Martins falava durante a visita que efectuou às instalações da Direcção Geral da Alfândega, visando constatar no terreno os trabalhos que estão a ser realizados, no quadro das reformas em curso e da implementação do plano estratégico da DGA com vista à melhoria da eficiência dos serviços alfandegários.

Geraldo Martins assegurou, por outro lado, que a maior parte das receitas fiscais que são colectadas no país, vem da DGA e por isso as “alfândegas representam algo bastante para a economia da Guiné-Bissau”.

O Ministro da Economia e das Finanças assegurou que as inovações no serviço do Guichet Único, que é um espaço em que todas as entidades que intervém no comércio externo vão poder pagar e despachar as documentações sem terem necessidade de andar de um lado para outro. Para Martins a existência do Guichet Único melhorará a qualidade de serviços e ajuda na redução dos custos e aumentar as receitas.

O Ministro Geraldo Martins salientou que a questão de Guichet Único é uma das prioridades do programa de emergência do governo.

© e-Global Notícias em Português
1 Comentário

1 Comentário

  1. Melo fernandes

    01/09/2019 at 19:07

    Bem-vindo tudo que estâo a fazer este governo agora, talveis a nossas reclamaçôes por fim serâo atendidas! O nossos avôs i pais lutaram pra ver que os mais jovens desenvolver o país, mas um tempo pareçia que pensavam mais em encher os bolsos, mais agora espero que na diaspora começam a levar as suas coisas diretamente ao país, sem ter que ir ao senegal ou Gambia deixando dinheiro la como se fosse outra regiâo de esses neocolonialistas, em fim desejo este governo boa sorte!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo