Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: PAIGC crítica nomeação do novo Director Nacional da Interpol

GB Bacari Biai
Bacari Biai

Em nota à imprensa, o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) considera “estranha” a substituição de Melâncio Correia, por Bacari Biai, na Directoria Nacional da Interpol e lança ataques ao novo titular do cargo.

“Esta mudança brusca, ocorrida dias após a Secretaria Geral da Interpol indeferir o pedido de mandado de captura internacional, solicitado pelo infeliz Procurador-Geral da República, Dr. Fernando Gomes, contra o engenheiro Domingos Simões Pereira, não deixa de ser estranha”, lê-se na nota.

Contudo, o “Partido dos libertadores” mostra-se indiferente à substituição na Interpol e lembra: “O PAIGC leva ao conhecimento dos militantes e da população guineense em geral, de que a exoneração do magistrado Melâncio Correia, em nada vai alterar a decisão ora tomada, pela Secretaria Geral da Interpol, que foi fundamentada por falta de observância dos requisitos recomendados para a emissão de um mandado de captura internacional”, diz o partido.

O PAIGC não deixa passar em claro a nomeação do novo director nacional da Interpol e ataca o agora titular do órgão, Bacari Biai: “Sabe-se, aliás, que enquanto Procurador-Geral da República, entre 2017 e 2019, Bacari violou visceral e recorrentemente, as normas jurídicas nacionais e internacionais, no capítulo dos direitos fundamentais, nomeadamente o direito às liberdades de associação e de manifestação. Neste particular, o ex-titular do Ministério Público produziu um despacho, de forma intencional, visando proibir marchas dos partidos e movimentos cívicos, nas horas normais do expediente, violando um dos direitos civis mais elementares da democracia”, conclui a nota.

Iancuba Danso

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo