Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: PGR acusa funcionário da Câmara e empreiteiro por desabamento que matou cinco pessoas

Arquivo

No processo relativo ao desabamento de duas varandas de um edifício na capital, a Procuradoria-Geral da República (PGR) considerou como responsáveis um funcionário da Câmara Municipal de Bissau e um empreiteiro.

Quatro meses depois do desabamento de duas varandas de um prédio na Avenida dos Combatentes da Liberdade da Pátria em Bissau, que provocou a morte de cinco pessoas, naturais da Guiné Conacry, foi tornado público esta terça-feira 7 de Janeiro os termos de acusação dos presumíveis responsáveis.

No despacho lê-se que o Ministério Público acusa o empreiteiro do edifício, Jawad Sumah, natural da Guiné Conacry, responsável de cinco crimes de homicídio por negligência, dois de falsificação de documentos e um de corrupção activa.

O mesmo despacho indicia também o técnico de construção civil e funcionário da Câmara Municipal de Bissau, Honório Gilson José de Barros, de prática do crime de falsificação de documentos.

Laurena Carvalhos Hamelberg

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo