Crise | Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: PGR demissionário diz que a CEDEAO é “uma vergonha para cidadãos comunitários”

Depois de apresentar ao Presidente cessante, José Mário Vaz, o seu pedido de demissão, o Procurador-geral da República (PGR), atacou a CEDEAO e considerando esta organização de “vergonha para os cidadãos comunitários”.

Bacar Biai falava, esta terça-feira, à saída do encontro com o Presidente da República, José Mário Vaz, considerando que a decisão de chefes de Estado e de Governo da Comunidade Económica de Desenvolvimento dos Estados da África Ocidental, que obriga o Presidente cessante, José Mário Vaz, a demiti-lo, não tem “cabimento” e “carece de fundamento”. “É uma decisão descabida e não tem fundamento. Mas, aceito como guineense”, referiu Biai.

Segundo ainda o PGR demissionário, “mesmo passeando nas deposições legais da CEDEAO, não há nenhuma disposição que habilite a CEDAO de imiscuir-se nos assuntos internos de um país, mas aceito. Só que, mais uma vez, a CEDEAO envergonhou os cidadãos comunitários”.

Bacar Biai sublinhou que pediu demissão “para a estabilidade, paz e desenvolvimento da Guiné-Bissau”, concluindo ser “um soldado da República da Guiné-Bissau” e que vai voltar ao Ministério Público, mais bem posicionado, enquanto magistrado de carreira “para combater as teias de corrupção, que é transnacional, que está a corroer as estruturas de desenvolvimento da Guiné-Bissau”.

O Presidente cessante tem até amanhã, quarta-feira 3 de Julho de nomear um novo Procurador-geral da Republica e o elenco governamental, de acordo com o comunicado final da 55ª cimeira dos chefes de Estado e do Governo da CEDEAO, que teve lugar, no ultimo sábado, 29 de Junho, em Abuja, capital da Nigéria.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo