Guiné-Bissau: PR diz que “João Lourenço é um irmão”

O Presidente da República da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, afirmou à imprensa que o seu homólogo angolano “João Lourenço é um irmão”. Foi desta forma que afastou os rumores de desentendimentos entre os dois.

“O povo de Angola é um povo irmão. O Presidente João Lourenço é um irmão. Antes de sermos homólogos, somos irmãos. Há uma história entre a Guiné-Bissau e a Angola”, disse na segunda-feira, 05 de setembro, tendo sido citado pela “VOA”.

A declaração foi feita em resposta a perguntas de jornalistas que quiseram saber se a presença nas cerimónias fúnebres do ex-chefe de Estado José Eduardo dos Santos, em Luanda, representava uma normalização das relações entre os dois governantes.

“Isso é inequívoco. Somos irmãos, temos concertado e falado sempre”, frisou Sissoco Embaló, lembrando que João Lourenço “já nomeou um Embaixador para a Guiné-Bissau, também nomeei um Embaixador em Angola, portanto está tudo a correr bem e não há nada”.

Polémica de desentendimento

A polémica nasceu em março de 2020, quando o então Presidente eleito da Guiné-Bissau acusou o homólogo angolano de interferir nos assuntos internos do seu país, por ter recebido Domingos Simões Pereira em Luanda durante o diferendo pós-eleições presidenciais de 2019. Embaló criticou ainda o facto de Lourenço ter levado os filhos de Eduardo dos Santos à Justiça.

“Imaginem eu, Umaro Sissoco Embaló, mandar prender o filho de José Mário Vaz ou qualquer membro da sua família”, mencionou na altura, citado pelo “O Democrata”.

“Eu não sou ingrato… mas o meu homólogo angolano está a perseguir a pessoa que lhe entregou o poder de uma forma gratuita. Eu fui eleito pelo povo guineense. Ao João Lourenço foi dado o poder de ‘bandeja’ pelo Presidente José Eduardo Santo, um homem que lutou pela paz em Angola e que merece respeito”, defendeu.

O governante aconselhou o homólogo a colocar “a mão na consciência e lembrar que o Presidente José Eduardo dos Santos lhe deu tudo”. A seu ver, “o cão não morde a mão que o alimenta, portanto lamento ouvir críticas a partir de Angola sobre os problemas da Guiné-Bissau”.

A situação terá causado um mal-estar diplomático entre Angola e Guiné-Bissau, mas poderá já ter sido um problema superado, segundo as novas declarações de Embaló.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Moçambique recebe mais USD 59 milhões do FMI para OE

Moçambique recebe mais USD 59 milhões do FMI para OE

O Fundo Monetário Internacional (FMI) concluiu a primeira avaliação do programa de financiamento de três anos ao Orçamento do Estado…
Moçambique: FMI prevê elevado crescimento do crédito à economia

Moçambique: FMI prevê elevado crescimento do crédito à economia

O Fundo Monetário Internacional (FMI) estima um crescimento considerável do crédito à economia em 2023 para Moçambique.  Se isso se…
Angola: Governo entrega proposta do OGE 2023 até 15 de dezembro

Angola: Governo entrega proposta do OGE 2023 até 15 de dezembro

O Governo angolano assegurou nesta quinta-feira, 24 de novembro, que vai entregar a proposta do Orçamento Geral do Estado (OGE)…
Cabo Verde regista três casos da sub-linhagem da variante Ómicron “BQ.1.1”

Cabo Verde regista três casos da sub-linhagem da variante Ómicron “BQ.1.1”

Segundo a Ministra da Saúde de Cabo Verde, Filomena Gonçalves, desde o início de novembro houve um pequeno aumento dos…