Diplomacia | Guiné-Bissau

Guiné-Bissau receptiva à operação de sedução diplomática da Turquia

GB Suzi Barbosa
Suzi Barbosa

A cooperação entre a Guiné-Bissau e a Turquia vai ter resultados frutíferos a curto prazo, está convicta a chefe da diplomacia guineense, Suzi Barbosa.

No âmbito da recente visita do ministro dos Negócios Estrangeiros da Turquia, Mevlüt Çavuşoğlu ao país, a Guiné-Bissau recebeu dois ventiladores que deverão ser utilizados para o tratamento dos casos graves da Covid-19. Mas também está prevista na agenda a assinatura de acordo no domínio aéreo em que a Turquia compromete-se a abrir ligações com a Guiné-Bissau.

Em declarações a imprensa dia 10 de setembro, ministra dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau, Suzi Barbosa, destacou os passos significativos já foram dados e que a Guiné-Bissau foi beneficiada.

Suzi Barbosa confirmou que foi assinado um memorando de entendimento que irá permitir a formação na área de diplomacia, bem como instalação de uma academia de diplomacia no país com apoio do Governo turco.

“Vamos receber vários apoios institucionais e certamente a nossa diplomacia atingirá o nível que merece. O acordo assinado no domínio aéreo vai permitir para que passe a voar para a Guiné-Bissau a companhia Turkish Airlines que igualmente vai abrir novos horizontes para o país. Também vai criar novos postos de trabalho”, sublinhou.

Para a chefe da diplomacia guineense o primeiro sinal forte do reforço da cooperação irá acontecer com a abertura da embaixada da Turquia em Bissau, com base no principio da reciprocidade Suzi Barbosa garantiu também que a Guiné-Bissau vai abrir a embaixada na Turquia nos próximos meses”, tendo o Presidente turco Erdogan já aprovado a abertura das embaixadas.

Para além da diplomacia, já são notados alguns resultados da cooperação entre os dois países, principalmente no domínio de defesa e segurança, com a circulação de viaturas fornecidas pela Turquia para corporações policiais e unidades militares guineenses.

Turquia um país com “enormes potencialidades”

Depois de assumir às funções de Presidente da República, a Turquia foi um dos primeiros países visitados por Umaro Sissoco Embaló que considerou ter enormes potencialidades para a cooperação. Nos últimos tempos, a Turquia mantém cooperação com a Guiné-Bissau no domínio da educação, sendo que, o país já recebeu dezenas de bolsas de estudo.

Pouco conhecidos ainda são os deveres da Guiné-Bissau com a Turquia, mas que devem ser traduzidos em apoios diplomáticos e solidariedade politica na cena politica internacional, posições vitais e estratégicas para Ancara quando tem sido violentamente criticada pela sua intervenção militar na Líbia e ambições no Mediterrâneo. Mas também a Guiné-Bissau poderá tornar-se numa das portas africanas para a entrada das empresas turcas.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo