Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: Supremo Tribunal confirma que processo do contencioso eleitoral ainda está a ser analisado

Salimo Vieira

O Supremo Tribunal de Justiça anunciou que o processo de recurso contencioso eleitoral movido pelo PAIGC, ainda está a ser analisado pelas entidades competentes.

O anúncio do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) foi proferido esta sexta-feira, 10 de Janeiro, pelo assessor do presidente do STJ, Salimo Vieira, que aproveitou para destacar o que qualificou de “falsas informações” que indicavam que o Supremo Tribunal deveria pronunciar-se esta sexta-feira, sobre a validação ou invalidação do resultado da segunda volta das eleições presidenciais.

O assessor do STJ, aproveitou o momento para pedir aos guineenses a maior calma e paciência a fim que os órgãos competentes exerçam o seu trabalho com eficácia, seguindo todos os parâmetros legais.

“Estamos a pedir mais calma e paciência. O tribunal não decide nos joelhos. Este processo é sério, requer muita responsabilidade. O Supremo só pede um pouco de cuidado sobre as informações que vinculam nos órgãos, e na altura certa pronunciar-se-á sobre a decisão da Corte Suprema”, sublinhou Salimo Vieira.

Por último, após uma questão sobre a data de pronunciamento da decisão, o assessor do presidente do STJ disse que não existe qualquer prazo e que “os juízes não trabalham com prazo”

O Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), entrou com uma acção no Supremo Tribunal de Justiça, alegando irregularidades no processo de votação da segunda volta das eleições presidenciais, considerando ter ocorrido “manipulação dos resultados”, na qual o candidato dos “libertadores” Domingos Simões Pereira saiu derrotado com 46,45% contra o vencedor apoiado pelo Movimento para Alternância Democrática (MADEM-G15), Umaro Sissoco Embaló, que recolheu 53,55%.

Laurena Carvalho Hamelberg

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo