Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: Supremo Tribunal diz que em nenhum momento pediu a recontagem de votos

O esclarecimento do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) foi tornado público esta terça-feira 21 de Janeiro pelo seu Assessor de Imprensa, Salimo Vieira, que sublinhou que em nenhum momento o Supremo Tribunal pediu à Comissão Nacional de Eleições (CNE) a recontagem dos votos, tanto no primeiro Acórdão N° 01/2020 e como no segundo Acórdão N°. 01-A/2020. Mas que pediu à Comissão Nacional de Eleições para concluir as operações de apuramento da ata nacional, precisou o assessor.

Salimo Vieira que falava aos jornalistas numa conferência de imprensa a fim de esclarecer a má interpretação do Acórdão do Supremo Tribunal de Justiça, que está a ser interpretado de diferentes maneiras, aproveitou a ocasião para relembrar que, “a lei eleitoral do país no seu 95° art.” determina que“depois das operações de apuramento nacional é elaborada imediatamente a acta e serão enviados os exemplares desta acta aos órgãos da soberania” relembrou Salimo Vieira.

Por fim, o Assessor da Corte Suprema acrescentou que sobre o pedido de recontagem de votos feito pelo colectivo dos advogados do candidato do PAIGC, Domingos Simões Pereira, o Supremo mostrou sempre a inexistência de condições para efectuar esse trabalho.

Laurena Carvalho Hamelberg

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo