Crise | Guiné-Bissau

José Mário Vaz diz que crise político-institucional é devida à obstrução da ANP

O Presidente da República guineense resumiu a crise político-institucional que a Guiné-Bissau vive à obstrução da Assembleia Nacional Popular (ANP), que impedindo o regular funcionamento da casa da democracia guineense, coíbe igualmente o plenário da ANP de discutir políticas e aprovar leis.

Este sábado, 11 de fevereiro, no ato do encerramento do simpósio internacional, José Mário Vaz disse que, enquanto chefe de Estado, assumiu como principal missão a estabilização das instituições da república, tendo afirmado que a Guiné-Bissau reclama de todos políticos uma maior aposta na estabilização do país.

Neste sentido, o chefe de Estado exorta à classe política a não deixar que as suas divergências políticas se sobreponham às leis da República.

“Espero que os resultados deste simpósio sejam analisados por todos, sem paixão, com isenção e imparcialidade, e que se traduza num estímulo para continuarmos a trabalhar sempre juntos, na consolidação da paz, estabilidade e promoção de diálogo” disse.

José Mário Vaz apelou também aos parceiros internacionais da Guiné-Bissau para que sejam ainda mais pacientes na apreciação e leitura dos complexos acontecimentos que configuram a realidade política do país, a fim de que a sua ação possa ser um catalisador da unidade, da paz e do desenvolvimento da Guiné-Bissau.

O Chefe de Estado reafirmou a sua disponibilidade em encorajar ações que propiciem a agenda de promoção do diálogo, transformação económica e social do país.

“Nesta ordem de ideias, todos podem contar com o meu total apoio na busca de consensos, mas com base na verdade. Não pouparei esforços e darei toda a minha energia para a plena realização destes grandes desígnios” disse Mário Vaz.

Na sequência das conclusões e recomendações do simpósio, José Mário Vaz convidou o Presidente da Comissão Organizadora da Conferência Nacional, Padre Domingos da Fonseca, a apresentar um calendário dos trabalhos a realizar até a Conferência Nacional, que incluem as reuniões da Comissão de honra.

Tiago Seide

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo