Crise | Guiné-Bissau

PAIGC apresenta proposta para saída da crise política

Em resposta ao “apelo” do Presidente guineense José Mário Vaz, o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) avança com uma proposta de Pacto de Estabilidade de incidência parlamentar, soube a –e-Global, através de uma fonte partidária.

Com a exceção do PRS, que pediu para ser recebido amanhã, alegando a necessidade de reunir os seus responsáveis, o documento foi entregue aos partidos com assento parlamentar e recebidos hoje pela direção do PAIGC. Também esta segunda-feira a direção dos Libertadores recebeu partidos sem assento parlamentar.

Consta noo documento que o PAIGC decidiu ceder, concedendo 49% das pastas ministeriais aos partidos com assento parlamentar, nomeadamente ao PRS, Partido da Convergência Democrática, União Para Mudança e ao Partido Nova Democracia. Também faz parte deste pacote percentual de 49%, o círculo ligado ao Presidente da República, ficando o PAIGC com os restantes 51%, enquanto formação política vencedora das eleições.

O PAIGC tem multiplicado os contatos políticos com todas as partes, visando encontrar consensos e, consequente, a viabilização do Pacto de Estabilidade, que lhe permita concluir a legislatura e garantir a estabilidade governativa.

No entanto, o PAIGC pretende manter Carlos Correia como Primeiro-ministro, dado não seu figura de divergência com o Chefe de Estado, Mário Vaz.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo