África Subsaariana | Guiné-Bissau

PAIGC expulsa deputados que abstiveram-se na votação de moção de confiança ao Governo

O Conselho Nacional de Jurisdição (CNJ) do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) expulsou 14 militantes do partido, deputados da Assembleia Nacional Popular, por se absterem na votação da moção de confiança do Governo de Carlos Correia a 23 de dezembro.

De acordo com o acórdão do CNJ, com a data do dia 11 de janeiro 2016, estes militantes tiveram condutas subversivas e de traição política muito graves, violando assim os princípios do partido e Estado de Direito Democrático, com base no artigo 103, número 2 dos estatutos do PAIGC, que aplica expulsão dos mesmos nos termos do artigo 102 número 1 da mesma dos estatutos do partido.

Abel da Silva, Braima Camará, Rui Diã de Sousa, Isabel Buscardine, Satu Camará uma das vice-presidentes do Partido, Soares Sambu, Tumane Mané, Manuel Nascimento Lopes (Menelinho), Eduardo Mamadu Balde, Maria Aurora Abissa Sano Sanha, Amidu Queita, Tcherno Sanha, Abulai Balde e Bacai Sanha, filho do ex-presidente da Republica Malam Bacai Sanha são assim expulsos do PAIGC segundo a decisão do CNJ. No mesmo grupo está também Baciro Dja que já tinha sido expulso do partido no final de 2015.

Num documento assinado pela plenária constituída por seis elementos, para além do relator, o CNJ evocou o uso das suas faculdades legais para aplicação desta medida tendo em conta as razões referidas face aos comportamentos dos militantes do partido.

No próximo fim de semana, antes da apresentação do Programa do Governo de Carlos Correia à ANP, o Comité Central do PAIGC irá reunir e eventualmente confirmar a expulsão dos militantes

O anúncio desta decisão acontece quando todos os elementos visados se encontram no interior do país, nomeadamente na zona leste, em reunião com os seus apoiantes.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo