Guiné-Bissau | Segurança

Prisão da PJ com capacidade para 20 pessoas, alberga cerca de 90 reclusos

Na sequência da evasão das celas do centro prisional da Polícia Judiciária (PJ), em Bissau, por 24 reclusos, tendo um sido declarado morto, o Presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos (LGDH), Augusto Mário da Silva, defende o encerramento do centro.

Para o Presidente da LGDH, não há condições para o centro prisional da PJ continue a receber os prisioneiros. “Como é possível que uma cela com capacidade de receber 20 pessoas, possa albergar cerca de 90 reclusos”, perguntou Mário da Silva, que sublinha que o Centro Prisional da Policia Judiciaria em Bissau carece também de casas de banho funcionais.

O Presidente da Liga exige, entretanto, a captura de todos os fugitivos para que os cidadãos voltem a acreditar na “ordem jurídica guineense”.

Em reação, o Diretor-geral dos Centros Prisionais do Ministério da Justiça, Mussa Baldé, lembrou que, recentemente, foi apresentada a maquete de uma nova prisão de segurança em Bissau, e garantiu que o Governo está a fazer os possíveis para superar os problemas existentes.

Questionado se alguns dos foragidos foram capturados, o mesmo responsável do Ministério da Justiça, afirma não ainda haver elementos novos, mas acredita que os agentes estão no terreno.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo