Guiné-Bissau

Quatro guineenses infetados com vírus Zika em Bolama

O Instituto Nacional de Saúde Pública (INASA) investigou nos últimos 175 casos suspeitos de infeção de vírus Zika, entre os quais quatro foram diagnosticados positivos ou confirmados, na região de Bolama Bijagós, no setor de Bubaque, revelou relatório da instituição datado de agosto.

O relatório do INASA, que a e-Global teve acesso, datado de 31 de agosto, refere ainda que do estudo entomológico feito com o apoio do Instituto Pasteur de Dakar em Bubaque e Caravela, 80% das amostras contêm espécies transmissoras do vírus Zika, bem como os recipientes abandonados, tais como pneus e latas, constituem cerca de 80% da fonte de contaminação.

Contactado pela e-Global, Plácido Cardoso, Presidente do Instituto Nacional de Saúde Pública, evitou alarmismos explicando que se trata de um vírus de origem africano, menos violento, em relação ao vírus do Zika do Brasil. “Confirmada a origem destes vírus de tipo africano, não tem causado transtornos neurológicos como microcefalia”, explicou Cardoso.

Perante estes casos, Plácido Cardoso informou que a INASA vai continuar a trabalhar no saneamento dos meios e alargar as suas investigações sanitárias para outras regiões do interior do país, incindindo mais tempo nas ilhas.

Sobre vírus Zika, o relatório do INASA recomenda a sensibilização e informação, saneamento de meios, bem como na formação para notificação de casos do vírus Zika. “Recomendamos um reforço de campanhas de informação e sensibilização junto das comunidades, campanhas de limpezas e saneamentos com prioridades a região de Bolama/Bijagos, encorajar a notificação e consequente investigação dos casos de microcefalia a nível das estruturas sanitárias”, disse.

Sumba Nansil

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo