Guiné-Bissau: Sociedade civil denuncia tentativa de silenciar a Rádio Capital FM

Bissau

O Espaço de Concertação das Organizações da Sociedade denunciou esta sexta-feira, 21 de Outubro, “a tentativa de silenciar definitivamente a Rádio Capital Fm” e exortou o Ministro da Comunicação social a conformar as suas actuações com os ditames da lei.

Em comunicado de imprensa de 19 de Outubro, tornado a público esta sexta-feira, as organizações da sociedade civil manifestaram também preocupados com a actual situação política, social e económica reinante no país, caracterizada por “disfuncionamento do sistema do ensino e da saúde pública, subida galopante dos preços de produtos da primeira necessidade”.

Na nota o Espaço de Concertação das Organizações da Sociedade civil guineense denunciou ainda “tentativas inaceitáveis de silenciamento permanente da Rádio Capital FM, orquestradas pelo Ministério da Comunicação Social sob pretexto de incumprimento de medidas administrativas absolutamente ilegais e arbitrárias”.

Perante a situação, as organizações da sociedade civil exortaram o Ministro da Comunicação Social “no sentido de conformar as suas actuações com os ditames da lei, revogando as medidas administrativas ilegais e arbitrárias, as quais se configuram numa tentativa de silenciar em definitivo a Rádio Capital FM”.

A sociedade civil disse estar ainda preocupada com “a difusão de áudios e relatórios de investigações comprometedores nas redes sociais, sobre as redes criminosas de tráfico de drogas na Guiné-Bissau, com o suposto envolvimento das mais altas hierarquias do Ministério do Interior e da Procuradoria Geral da República” e denunciou “a manipulação do sistema judiciário e sua consequente instrumentalização permanente para fins político partidário, pondo em causa o pluralismo democrático e o exercício das liberdades fundamentais constitucionalmente asseguradas aos cidadãos”.

O Espaço lamentou ainda aquilo que considerou “a insensibilidade social do governo, face a degradação espantosa da qualidade de vida dos cidadãos, em consequência do aumento da extrema pobreza no país, decorrente de elevado custo de vida”, pelo que repudiou “o inquietante silêncio do governo face às paralisações dos sectores de educação e saúde com graves consequências para os cidadãos”.

A sociedade civil exigiu também ao Presidente da República no sentido de “demitir imediatamente os Senhores Ministro do Interior e Procurador-geral da República, permitindo às autoridades judiciárias investigar com maior transparência, o suposto envolvimento dos mesmos no tão propalado caso de tráfico de drogas”.

Mamandin Indjai

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Zelensky considera Trump um “Presidente falhado” se propuser mau acordo de paz

Zelensky considera Trump um “Presidente falhado” se propuser mau acordo de paz

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, partilhou que o ex-Presidente dos Estados Unidos da América (EUA) e que concorre novamente ao…
EUA consideram que cabe ao Hamas aceitar cessar-fogo em Gaza

EUA consideram que cabe ao Hamas aceitar cessar-fogo em Gaza

O secretário de Estado dos Estados Unidos da América (EUA), Antony Blinken, afirmou que cabe ao movimento islamita palestiniano Hamas aceitar…
Moçambique: Nyusi viaja até à Coreia para participar em Cimeira

Moçambique: Nyusi viaja até à Coreia para participar em Cimeira

O chefe de Estado moçambicano encontra-se na República da Coreia desde a noite de domingo, 02 de junho. Nyusi deslocou-se até…
Brasil: António Fiúza reeleito presidente da Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria do Rio de Janeiro

Brasil: António Fiúza reeleito presidente da Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria do Rio de Janeiro

O líder do Grupo Lusófona Brasil, António Montenegro Fiúza, foi reeleito presidente da Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria do…