Pixabay License Grátis para uso comercial Atribuição não requerida

Guiné Equatorial alivia medidas contra a Covid-19

As autoridades da Guiné Equatorial decidiram aliviar algumas restrições adotadas no âmbito do combate à Covid-19 em Malabo, capital do país, e também em outras zonas. Um dos levantamentos é retomar as aulas presenciais. 

No entanto, as medidas irão manter-se na cidade de Bata, uma vez que continuam a aumentar os casos do novo coronavírus. 

As medidas foram anunciadas durante uma reunião do Comité Político de Luta e Vigilância contra a Covid-19, dirigido pelo vice-presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Ngmema Obiang Mangue. 

Sabe-se assim que as aulas presenciais vão ser retomadas em Malabo, na ilha de Bioko, e que o recolher obrigatório será alargado das 19:00 para as 22:00 horas, mantendo-se em vigor até às 06:00 horas em todo o território nacional. A exceção é Bata, na parte continental do país, onde continuarão as medidas atualmente em vigor durante, pelo menos, mais três semanas. 

Quanto aos voos comerciais nacionais e internacionais, passam de um por semana para dois. Continuará a ser exigida aos viajantes a apresentação do certificado de vacinação ou o resultado negativo de um teste PCR. 

Segundo os dados mais recentes sobre a pandemia, nos últimos sete dias anteriores a quarta-feira, 19 de maio, foram registados 160 novos casos. Há um total de 503 casos ativos e, sobre as mortes derivadas da Covid-19, foram registadas 113 desde o início da pandemia na Guiné Equatorial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

Ucrânia: Presidente assina pedido de adesão à União Europeia

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, assinou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, o pedido formal de adesão à União Europeia…
Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

Ucrânia: Ataque russo em Kharkiv causa 11 mortes

O Governo ucraniano afirmou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que morreram 11 pessoas e centenas ficaram feridas durante um ataque russo…
Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

Angola: Cidadãos angolanos fogem da Ucrânia

A maioria dos angolanos que viviam em Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia, decidiu abandonar o local no sábado, 26…
Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

Guerra na Ucrânia causa 422 mil refugiados

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) partilhou nesta segunda-feira, 28 de fevereiro, que já são mais…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin