Guiné Equatorial

Guiné Equatorial: Combate à corrupção e melhorias na governação essenciais para assistência financeira

Fundo Monetário Internacional (FMI)

O porta-voz do Fundo Monetário Internacional (FMI), Gerry Rice, afirmou nesta quinta-feira, 12 de dezembro, que o combate à corrupção e as melhorias na governação vão ser um elemento central no programa de assistência financeira em preparação para a Guiné Equatorial.

“No caso da Guiné Equatorial, os elementos sobre a governação e o combate à corrupção serão uma parte muito importante do programa que o conselho de administração do FMI vai analisar quando se reunir, o que ainda não aconteceu”, declarou numa conferência de imprensa quinzenal.

“O Governo da Guiné Equatorial comprometeu-se a aplicar uma estratégia nacional de combate à corrupção e melhorar a governação, e isso será um elemento central de qualquer programa que vá para a frente”, acrescentou, respondendo a uma questão sobre a reação do FMI às críticas de vários grupos da sociedade civil, que pedem ao Fundo que rejeite o pedido de assistência financeira feito por Malabo.

“Nós somos requisitados para trabalhar com qualquer um dos nossos 189 Estados-membros e tentamos trabalhar com eles independentemente das difíceis circunstâncias de cada um”, explicou, mencionando ainda que “o FMI dá grande atenção às questões da governação e da corrupção, como se vê em várias partes dos nossos programas, marcados pelo cumprimento das leis relativamente à transparência internacional, combate à lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo, entre outros”.

Recorde-se que o Governo da Guiné Equatorial, dirigido por Teodoro Obiang Nguema desde 1979, detém o recorde de longevidade no poder em África, e que o mesmo é constantemente acusado por diversas organizações da sociedade civil de violações dos direitos humanos e perseguição a políticos da oposição.

Teodoro Obiang e a sua família , nomeadamente o filho Teodorin Obiang, são alvo de investigações por crimes de corrupção, desvio de dinheiro público e branqueamento de capitais em França e em outros países.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo