África Subsaariana | Guiné Equatorial

Guiné Equatorial considera que crise nos Camarões não ameaça paz e segurança internacionais

O Representante Permanente da Guiné Equatorial afirmou perante as Nações Unidas que o país que representa não considera que a situação humanitária da República dos Camarões ameaça a paz e a segurança internacionais.

A declaração de Anatolio Ndong Mba foi feita durante uma reunião realizada na sede das Nações Unidas em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América, onde foi analisada a situação atual no Norte e Sul do país africano Camarões. O encontro contou com a presença de vários países membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas, bem como de vários representantes de Organizações Não Governamentais e instituições religiosas.

A reunião teve como objetivo manter informados os presentes sobre os problemas do referido país, de forma a pensarem em mecanismos de acompanhamento que auxiliem o Governo dos Camarões para a normalização da crise, que teve início em setembro de 2017.

Após ter ouvido recomendações de vários Estados-membros, a Guiné Equatorial agradeceu os esforços efetuados por organismos das Nações Unidas no contínuo apoio à situação humanitária nos Camarões, não sendo esta apenas um motivo de preocupação para a região mencionada, mas também para todo o continente africano.

“Queremos relembrar que um diálogo inclusivo é a única solução para abordar qualquer diferença que possa surgir dentro dos Camarões e esperamos que estas diferenças se resolvam no espírito de cooperação e compromisso de todas as partes envolvidas”, declarou Ndong Mba, que aconselhou as autoridades dos Camarões a estarem mais abertas ao diálogo.

No entanto, apesar do problema decorrer no país vizinho da Guiné Equatorial, assegurou que o seu país não considera que a situação vivida nos Camarões constitui uma ameaça à paz e segurança internacionais.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo