Guiné Equatorial: Corrupção no país trava novas verbas do FMI

A Guiné Equatorial tinha chegado a acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), no final de 2019, sobre  um programa de resgate financeiro de 282,8 milhões de dólares (cerca de 231 milhões de euros). No entanto, devido à corrupção verificada no país, acabou por receber apenas 40 milhões de dólares (quase 33 milhões de euros).

Segundo a “The Economist”, revista semanal britânica, a Guiné Equatorial já podia ter recebido mais verbas de apoio do FMI “se fizesse alguma coisa sobre a corrupção”.

“Mais de um ano depois de ter sido prometido um resgate, o pequeno ‘petroestado’ da Guiné Equatorial ainda está para ver a maior parte do dinheiro com o qual esperara reavivar a economia”, lê-se na referida publicação.

Este empréstimo do FMI ao abrigo do Programa de Financiamento Ampliado terá então sido dado de forma “relutante”, devido à oposição das organizações não governamentais e dos grupos de Direitos Humanos, que consideram o país “um poço sem fundo de corrupção”.

“Eles têm razão, a gestão do governo das receitas do petróleo e gás é opaca e publicam poucas estatísticas sobre a economia e quase não há nenhum dos freios e contra freios que responsabilizam o governo: os opositores políticos são repetidamente presos e torturados, e não há imprensa independente para escrutinar o governo ou a sua despesa”, pode ainda ler-se na revista britânica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Moçambique: Sofala regista um crescimento económico de cerca de 4,4% até ao 3º trimestre de 2021

Moçambique: Sofala regista um crescimento económico de cerca de 4,4% até ao 3º trimestre de 2021

O Governador de Província de Sofala, Lourenço Ferreira Bulha, durante a prestação de conta a membros da Assembleia Provincial, na…
Angola: MPLA incentiva diáspora no Canadá a votar

Angola: MPLA incentiva diáspora no Canadá a votar

O novo secretário do MPLA no Canadá, Victor Bernardo, incentivou durante uma reunião via Zoom os militantes do partido naquele país a…
Consumo de café e chá reduz o risco de AVC e demência

Consumo de café e chá reduz o risco de AVC e demência

Num grande estudo, publicado na revista PLoS Medicine, uma equipa de investigadores da Tianjin Medical University e da Yale University…
Moçambique: Frelimo aconselhada a não guiar-se pelas vitórias passadas

Moçambique: Frelimo aconselhada a não guiar-se pelas vitórias passadas

O primeiro secretário do Comité Provincial da Frelimo na província de Maputo, Avelino Muchine, aconselhou os membros do partido no poder em…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin