Guiné Equatorial: Corrupção no país trava novas verbas do FMI

A Guiné Equatorial tinha chegado a acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), no final de 2019, sobre  um programa de resgate financeiro de 282,8 milhões de dólares (cerca de 231 milhões de euros). No entanto, devido à corrupção verificada no país, acabou por receber apenas 40 milhões de dólares (quase 33 milhões de euros).

Segundo a “The Economist”, revista semanal britânica, a Guiné Equatorial já podia ter recebido mais verbas de apoio do FMI “se fizesse alguma coisa sobre a corrupção”.

“Mais de um ano depois de ter sido prometido um resgate, o pequeno ‘petroestado’ da Guiné Equatorial ainda está para ver a maior parte do dinheiro com o qual esperara reavivar a economia”, lê-se na referida publicação.

Este empréstimo do FMI ao abrigo do Programa de Financiamento Ampliado terá então sido dado de forma “relutante”, devido à oposição das organizações não governamentais e dos grupos de Direitos Humanos, que consideram o país “um poço sem fundo de corrupção”.

“Eles têm razão, a gestão do governo das receitas do petróleo e gás é opaca e publicam poucas estatísticas sobre a economia e quase não há nenhum dos freios e contra freios que responsabilizam o governo: os opositores políticos são repetidamente presos e torturados, e não há imprensa independente para escrutinar o governo ou a sua despesa”, pode ainda ler-se na revista britânica.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Cabo Verde regista aumento do PIB em 10,2% no início de 2024

Cabo Verde regista aumento do PIB em 10,2% no início de 2024

O Instituto Nacional de Estatística (INE) de Cabo Verde partilhou nesta semana que o Produto Interno Bruto (PIB) nacional registou…
Timor-Leste: Governo começa a dar assistência alimentar durante três meses

Timor-Leste: Governo começa a dar assistência alimentar durante três meses

O Governo timorense começou nesta semana a prestar assistência alimentar, durante três meses, a mais de 18.000 pessoas afetadas pelo…
Moçambique: MDM fortalece bases para as eleições gerais

Moçambique: MDM fortalece bases para as eleições gerais

O Movimento Democrático de Moçambique (MDM) está a realizar um movimento de preparação para as eleições gerais, marcadas para 09…
Secretário-geral da NATO quer adesão da Ucrânia até 2034

Secretário-geral da NATO quer adesão da Ucrânia até 2034

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenbeg, partilhou a sua esperança de a Ucrânia aderir à Aliança Atlântica nos próximos dez…