Guiné Equatorial: FMI alerta para corrupção e reformas

O Fundo Monetário Internacional (FMI) alertou a Guiné Equatorial de que deve combater a corrupção e avançar mais rapidamente com as reformas. Tal deverá ser feito através do cumprimento das condições do Programa de Financiamento Ampliado, suspenso desde o início de 2021.

“Lidar com os desafios de corrupção e com as questões antigas de governação macroeconómica é crítico para garantir um crescimento inclusivo” do país, pode ler-se na declaração divulgada pela organização internacional.

O FMI prevê que o crescimento económico chegue aos 4,1%, interrompendo vários anos de recessão. No entanto, estima também que a Guiné Equatorial voltará depois ao vermelho, a partir de 2022, ano em que a economia deverá cair 1,5%. O número poderá manter-se negativo pelo menos até 2026.

Esta é a mesma declaração que acompanha o anúncio da disponibilização de uma assistência financeira de emergência ao país, no valor de 67,38 milhões de dólares norte-americanos. O dinheiro visa ajudar a recuperar das explosões em Bata e para aumentar o combate à Covid-19.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Cabo Verde: Correia e Silva quer Economia Digital a valer 25% do PIB

Cabo Verde: Correia e Silva quer Economia Digital a valer 25% do PIB

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, tem como meta fazer com que a Economia Digital contribua com 25% do Produto Interno Bruto (PIB). Este objetivo…
Grécia quer cooperar com Angola na Segurança Marítima

Grécia quer cooperar com Angola na Segurança Marítima

A Grécia manifestou a Angola o seu desejo de estabelecer cooperação nos domínios da Segurança Marítima, Comércio, Turismo, Indústria, Agricultura e Inovação. Essa…
Moçambique: INGD alerta para risco de inundações e cheias

Moçambique: INGD alerta para risco de inundações e cheias

A presidente do Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres (INGD) Luísa Meque, apelou às comunidades que residem nas…
Timor-Leste: Diáspora na Coreia do Sul enviou mais de USD 30 milhões

Timor-Leste: Diáspora na Coreia do Sul enviou mais de USD 30 milhões

Os trabalhadores timorenses na Coreia do Sul já enviaram para Timor-Leste, de 2009 a 2021, cerca de 39 milhões de dólares…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin