Guiné Equatorial: FMI aprova pacote de ajuda financeira para o país

O Fundo Monetário Internacional (FMI) confirmou nesta segunda-feira, 06 de janeiro, um pacote de ajuda financeira à Guiné Equatorial no valor de 282,8 milhões de dólares até 2022, com uma componente de melhoria da governação e combate à corrupção.

“O programa apoiado pelo FMI tem como objetivo a manutenção da estabilidade macroeconómica e financeira, melhorar a proteção social, propulsionar a diversificação económica, fortalecer a governação e o combate à corrupção”, pode ler-se na nota divulgada.

Ainda segundo o comunicado, a aprovação pelo Conselho de Administração do FMI do Programa de Financiamento Ampliado (Extended Fund Facility, no original em inglês) possibilita a entrega imediata de 40,4 milhões de dólares. É também mencionado que “o programa das autoridades baseia-se nos esforços do país, nos últimos anos, para reduzir os desequilíbrios macroeconómicos e lidar com os desafios em matéria de governação e corrupção que a Guiné Equatorial enfrenta”.

O acordo visa “apoiar o programa económico das autoridades, que visa reduzir ainda mais os desequilíbrios macroeconómicos e lidar com as vulnerabilidades do setor financeiro, melhorar a proteção social, o desenvolvimento do capital humano, promover a diversificação económica e impulsionar a boa governação, aumentar a transparência e combater a corrupção, tudo com o objetivo genérico de atingir um crescimento económico inclusivo e sustentável”.

Segundo o vice-diretor executivo desta organização internacional, Tao Zhang, citado no documento, “é preciso uma abordagem mais abrangente para atacar de forma mais eficiente os desafios do país”, sendo “essencial uma implementação estrita dos compromissos agora assumidos pelas autoridades e a adesão a um calendário firme”.

O país “foi afetado por um forte declínio nos preços do petróleo e por um declínio na produção de hidrocarbonetos, o que levou a grandes desequilíbrios macroeconómicos e a um crescimento económico negativo”, ajuntou o governante, referindo que “a economia também foi afetada pelos persistentes problemas de governação e corrupção”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Cabo Verde interessado em consolidar desenvolvimento sustentável com Portugal

Cabo Verde interessado em consolidar desenvolvimento sustentável com Portugal

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, partilhou publicamente a vontade de consolidar o processo de desenvolvimento sustentável em Cabo…
Angola considera "excelentes" as relações com Portugal

Angola considera "excelentes" as relações com Portugal

O Ministério das Relações Exteriores de Angola afirma, através de uma nota de imprensa oficial, que as relações comerciais com…
Banco de Moçambique cancela registo de 15 operadores de microcrédito

Banco de Moçambique cancela registo de 15 operadores de microcrédito

O Banco de Moçambique decidiu cancelar o registo de 15 operadores de microcrédito. Estes passam a estar assim proibidos de…
Cabo Verde e Suíça decidem facilitar vistos de curta duração

Cabo Verde e Suíça decidem facilitar vistos de curta duração

Cabo Verde e Suíça acordaram que vão facilitar a emissão de vistos de curta duração, divulgou o Ministério dos Negócios…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin