Guiné Equatorial: Malabo sofre escassez de gás para uso doméstico

Malabo, capital equato-guineense, está há vários dias a enfrentar uma escassez de gás doméstico. O motivo deve-se a um incêndio que interrompeu a produção, de acordo com o ministro das Minas e Hidrocarbonetos, Gabriel  Mbaga Obiang Lima

O governante afirmou à Agence France-Presse (AFP) que um incêndio ocorrido a 26 de setembro danificou “as instalações de gás, bem como a produção de gás doméstico e liquefeito”. A situação só deverá ser resolvida depois do dia 20 de outubro, acrescentou. 

De acordo com o Governo da Guiné Equatorial, as reservas de gás em Bata, capital económica do país, foram transferidas nos últimos dias para Malabo. No entanto, não estão a ser suficientes para satisfazer a procura dos 300 mil habitantes da zona. 

A empresa nacional de gás Sonagas já emitiu um comunicado a informar que está “a trabalhar intensamente para fornecer gás doméstico a todos e ao preço habitual”

Entretanto, não é possível encontrar botijas de gás à venda na capital, avançou a AFP. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin