Guiné Equatorial: Oposição denuncia “fraude em massa” nas eleições

O Presidente da Guiné-Equatorial, Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, foi reeleito com 99,7% dos votos no domingo, 20 de novembro. No entanto, a oposição considera que houve “fraude em massa”, permitindo assim mais uma vez a vitória ao governante que está no poder desde 1979. 

A Convergência Para a Democracia Social (CPDS), maior partido da oposição no país, já anunciou que não vai reconhecer a vitória de Obiang se esta se confirmar, devido a alegados vários tipos de “irregularidades escandalosas e generalizadas” no dia do acto eleitoral. 

“Se o senhor se proclamar vencedor como consequência destas eleições escandalosamente fraudulentas, o CPDS não reconhecerá a sua vitória e irá considerá-lo um Presidente ilegítimo”, lê-se numa nota divulgada pela formação política. 

Entretanto, o atual chefe de Estado não tem dúvidas de que será declarado vencedor quando terminar oficialmente a contagem de votos. “Estou seguro de que a vitória é do Partido Democrático da Guiné Equatorial [PDGE], disse no domingo, quando foi votar em Malabo, capital do país.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Timor-Leste: Taxa de execução do OGE 2022 foi de 78,75%

Timor-Leste: Taxa de execução do OGE 2022 foi de 78,75%

O Governo de Timor-Leste executou em 2022 cerca de 78,75% do valor total do Orçamento Geral do Estado (OGE) desse…
Moçambique: Atraso de salários gera greve no município de Nacala

Moçambique: Atraso de salários gera greve no município de Nacala

Mais de setecentos funcionários e agentes do Estado afetos ao Conselho autárquico de Nacala, na província de Nampula, encontram-se em…
Cabo Verde: UCID comenta mensagem de Ano Novo do PR

Cabo Verde: UCID comenta mensagem de Ano Novo do PR

O líder da UCID, João Santos Luís, comentou nesta terça-feira, 03 de janeiro, a mensagem de Ano Novo do Presidente…
Brasil: Lula assina primeiros decretos para o novo governo

Brasil: Lula assina primeiros decretos para o novo governo

No dia em que assumiu a presidência do Brasil pela terceira vez, Luiz Inácio Lula da Silva assinou vários decretos…