Guiné Equatorial

Guiné Equatorial: Recessão do país aumentada para 18,5%

A Comissão Económica das Nações Unidas para África (UNECA, na sigla em inglês) prevê que a Guiné Equatorial vai ter uma quebra económica de 18,5% devido ao novo coronavírus (Covid-19) e aos preços baixos do petróleo.

Segundo um relatório desta entidade sobre o impacto da pandemia na atividade económica nos países da África Central, a referida recessão de 18,5% na atividade económica resultará da queda dos preços do petróleo para uma média de 30 dólares (27 euros) este ano, do seu impacto no Orçamento do Estado e das medidas que terão de ser adotadas para recuperar após o surto.

Segundo o diretor do departamento da UNECA para a África Central, António Pedro, “a situação na África Central é ainda pior do que no resto do continente porque infelizmente a perceção sobre a evolução económica, bem como a guerra de preços no setor do petróleo, a que se junta uma queda do preço do petróleo de 60 para 30 dólares [55 para 27 euros] por barril, está a acontecer num ambiente em que vários países africanos já estão sob apoio do Fundo Monetário Internacional”.

“Os nossos Estados-membros não terão o dinheiro de que precisam para reagir à pandemia, já que enfrentam um duplo perigo: por um lado são atacados pelo vírus e igualmente pelo abrandamento do crescimento económico, e depois não têm dinheiro para responder a um agravamento da situação da pandemia”, ajuntou.

A UNECA avança ainda num relatório sobre o impacto do novo coronavírus em África que o crescimento económico de 3,2% previsto para o continente este ano pode reduzir-se para 1,8% devido ao abrandamento previsto na procura das principais economias importadoras de matérias primas e à redução do preço do petróleo.

A secretária executiva da UNECA, Vera Swonge, explicou que o facto de a China estar a ser muito afetada irá prejudicar inevitavelmente o comércio em África, podendo este continente perder metade do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), já que está fortemente ligado à China, Estados Unidos da América e Europa.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo