Guiné Equatorial

Obiang afirma que “apenas” 20 militantes da oposição estão detidos

O presidente da Guiné-Equatorial Teodoro Obiang Nguema reconheceu ontem que há vinte de opositores que estão nas prisões do país, muito longe dos 200 avançados pela oposição.

O reconhecimento foi feito durante uma entrevista à RFI e ao canal de televisão France 24.

O partido vítima é o Ciudadanos por la Innovación (CI) que refere que todos os detidos são seus militantes. O CI afirma estar a ser alvo de “perseguição política” depois das eleições legislativas e municipais de 12 de novembro último, onde ganhou um mandato na assembleia nacional e uma freguesia na cidade de Malabo. Ambas as personalidades eleitas estão na prisão e foram detidas a 28 de dezembro, sem que até agora tenha sido avançada uma razão oficial.

Teodoro Obiang desmentiu que um militante do CI tenha falecido na noite de sábado, dia 14 de janeiro, no Comissariado Central da Polícia de Malabo na sequência de tortura. O presidente afirmou que a vítima, de nome Santiago Ebbe Ela estava doente, enquanto a sua família e o partido afirmam que morreu devido a actos de tortura.

O partido Convergencia para la Democracia Social denunciou também “um crime político”, mostrando a fotografia do corpo sem vida de Santiago Ebbe Ela com sinais de tortura. O partido exige agora que sejam apuradas, com carácter imediato, as responsabilidades penais que tiverem de ser aplicadas, e que o ministro do interior, da administração local, e da segurança nacional assumam com a sua demissão a responsabilidade política por este crime.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo