África do Sul trava entrada ilegal de moçambicanos no país

As autoridades sul-africanas impediram a entrada ilegal de 40 moçambicanos no seu território, por ocasião do regresso de várias pessoas após as festas de Natal e de Ano Novo. 

O anúncio foi feito pelo chefe do posto fronteiriço de Ressano Garcia em Maputo, Armando Mata. “Já recebemos um total de 40 moçambicanos que, por meios fraudulentos, não usando a fronteira oficial, tentaram entrar na África do Sul”, partilhou, citado pela “Rádio Moçambique”. 

Entre os 40 indivíduos estavam 24 homens e 16 mulheres, com idades entre os 23 e os 54 anos. Acabaram por ser “devolvidos ao país” através de Ressano Garcia, a maior fronteira entre Moçambique e África do Sul. 

Armando Mata apelou aos cidadãos para que legalizassem os seus documentos, de maneira a não haver “transtornos” durante as suas viagens à África do Sul.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Moçambique: CNE destaca tranquilidade durante recenseamento eleitoral

Moçambique: CNE destaca tranquilidade durante recenseamento eleitoral

O presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE) de Moçambique, Dom Carlos Matsinhe, afirmou que o recenseamento eleitoral tem decorrido…
Cabo Verde: PR promulga cinco diplomas do Governo

Cabo Verde: PR promulga cinco diplomas do Governo

O Presidente da República de Cabo Verde, José Maria Neves, promulgou cinco diplomas do Governo na segunda-feira, 15 de abril. …
Timor-Leste: Fretilin congratula-se com visita de Papa Francisco

Timor-Leste: Fretilin congratula-se com visita de Papa Francisco

A Frente Revolucionária de Timor-Leste Independente (Fretilin) congratulou-se nesta quarta-feira, 17 de abril, com a visita do Papa Francisco ao…
Ucrânia: Conselheiro de Zelensky diz que não há negociações em curso com a Rússia

Ucrânia: Conselheiro de Zelensky diz que não há negociações em curso com a Rússia

O conselheiro presidencial ucraniano, Mykhailo Podolyak, informou nesta quarta-feira, 17 de abril, que não há conversações e negociações em curso…