China doa alimentos às vítimas de Cabo Delgado

O Governo chinês doou nesta quinta-feira, 21 de outubro, produtos alimentares avaliados em cerca de 20 milhões de meticais (266 mil euros) para os deslocados dos ataques terroristas frequentemente ocorridos na província moçambicana de Cabo Delgado. Entre os produtos adquiridos no mercado local constam 24 mil litros de óleo de cozinha, 300 toneladas de farinha de milho e 200 toneladas de arroz. 

A China prometeu que vai apoiar a reconstrução da província, invadida desde outubro de 2017. “A parte chinesa está disposta a participar no desenvolvimento integrado do norte e a encorajar a participação ativa das empresas chinesas na construção de infraestruturas”, afirmou o embaixador chinês em Moçambique, Wang Hejum, durante a cerimónia de entrega do donativo. 

Em reação a este gesto por parte do país asiático, o Governo moçambicano, na voz do vice-ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Manuel Gonçalves, declarou que a doação alimentar vai “aliviar significativamente o sofrimento” da população deslocada. 

“O donativo terá um impacto profundo no seio dos nossos cidadãos, que, dia após dia, se deparam com a árdua realidade de procurar meios alternativos de sobrevivência”, acrescentou. 

Ainda de acordo com o governante, o gesto da China comprovou “a solidez e vitalidade das relações de cooperação”, entre os dois países.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Brasil: FMI anuncia previsão negativa para o crescimento do Brasil em 2022, apenas 0,3%

Brasil: FMI anuncia previsão negativa para o crescimento do Brasil em 2022, apenas 0,3%

O Fundo Monetário Internacional (FMI) derrubou as suas previsões de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2022…
Moçambique: PM observa impacto da depressão tropical Ana em Nampula

Moçambique: PM observa impacto da depressão tropical Ana em Nampula

O primeiro-ministro moçambicano, Carlos Agostinho do Rosário, inicia nesta quarta-feira, 26 de janeiro, uma visita de trabalho à província de…
Cabo Verde: PAICV diz que falta de voos domésticas e custos elevados são grandes obstáculos ao desenvolvimento económico

Cabo Verde: PAICV diz que falta de voos domésticas e custos elevados são grandes obstáculos ao desenvolvimento económico

A declaração foi feita pelo porta-voz da Bancada parlamentar do PAICV, Walter Évora, durante a conferência de imprensa de balanço…
Angola: Governo aprova plano de endividamento para 2022

Angola: Governo aprova plano de endividamento para 2022

A Comissão Económica do Conselho de Ministros de Angola aprovou nesta terça-feira, 25 de janeiro, o Plano Anual de Endividamento…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin