Crise | Moçambique

Crise de transportes afeta Maputo e Matola

Paragens cheias e poucos transporte de passageiros e agentes da polícia espalhados por vários pontos é o cenário que está instalado nos municípios de Maputo e Matola, em Moçambique.

A situação é mais crítica nos bairros periféricos de Magoanine, Maxaquene e Costa do Sol, na cidade de Maputo, bem como em Patrice Lumumba e T3 na Matola.

Os transportadores não aceitam passageiros devido ao aumento do custo do combustível e optaram por estacionar as viaturas.

“O que está acontecer é que os transportadores preferem estacionar os carros porque o combustível está elevado. E já não é rentável trabalhar assim e ter que dividir o valor com a entidade patronal. Eu estou a circular porque trabalho por conta própria”, contou Arménio Banze, transportador no bairro Patrice Lumumba.

Para garantir a segurança e evitar manifestações, várias brigadas da Polícia de Proteção Civil e de Choque, agentes da Polícia Municipal juntamente com cães-polícia foram colocados em várias paragens.

O Governo e as associações de transportadores estão em conversações sobre o reajuste do aumento da tarifa de transporte semi-coletivo de passageiros.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo