Moçambique: 560 guerrilheiros da Renamo vão ser desmobilizados

O Enviado Especial do Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) e Presidente do Grupo de Contacto, Mirko Manzoni, informou que vão ser desmobilizados 560 guerrilheiros da Renamo a partir da próxima semana. Tal será feito no âmbito do processo de Desmilitarização, Desmobilização e Reintegração (DDR) dos homens armados do principal partido da oposição em Moçambique. 

“Espera-se que cerca de 560 combatentes da base da Renamo sejam desmobilizados e integrados em aproximadamente três semanas de trabalho. Isso elevará o número total de desmobilizados para 3.270 combatentes, o que corresponde a 63% do total que será abrangido no fim do processo”, afirmou Manzoni, citado pelo jornal “O País”. 

A informação foi divulgada nesta quinta-feira, 11 de novembro. O representante de António Guterres realçou que, dos 560 guerrilheiros, 26 pertencem à autoproclamada Junta Militar da Renamo. 

Esta retoma é considerada um novo ciclo, uma vez que o processo de DDR foi interrompido durante quatro meses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin