Moçambique: Autoridades acusadas de desviarem comida dos deslocados

As autoridades do distrito de Montepuez, na província moçambicana de Cabo Delgado, estão a ser acusadas de desviar comida destinada aos deslocados que fugiram de ataques terroristas e que se encontram nesse local. Segundo a “Carta de Moçambique”, a queixa é registada no Centro de Acolhimento de Deslocados na aldeia Nakaka. 

A suspeita surgiu depois de uma organização humanitária internacional ter visitado o referido centro na terça-feira, 26 de outubro, com o objetivo de avaliar os trabalhos de distribuição de comida. De acordo com essa fonte, algumas famílias sobrevivem na base de biscoitos. 

Os deslocados locais confirmaram à organização que vivem na base de biscoitos e que não recebem bens alimentares essenciais. Nesse mesmo dia, um grupo de deslocados acabou por revoltar-se contra as autoridades locais no habitual evento de registo de beneficiários, tendo exigido transparência na distribuição dos alimentos. 

Não se trata da primeira vez que surgem rumores de desvios, por parte das autoridades, de bens destinados aos deslocados. O mesmo já terá, alegadamente, acontecido em outras zonas de Cabo Delgado, como foi o caso dos distritos de Mueda e de Palma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin