Moçambique: Chissano defende aposta na juventude

O ex-chefe de Estado moçambicano, Joaquim Chissano, considera que em 2022 o Governo deve apostar na garantia da paz, acabar com a Covid-19 e empoderar a juventude para o desenvolvimento da pátria.

A observação do antigo governante foi partilhada numa entrevista exclusiva dada ao jornal “O País”. Para Chissano, que liderou Moçambique durante 18 anos, “continua a ser uma grande prioridade retornar à paz no Norte de Moçambique, nomeadamente, em Cabo Delgado, e agora fala-se de Niassa. Este é um trabalho que deve ser feito por todos”.

Foi também salientada a necessidade de se continuar com o processo de reconciliação que inclui o processo de “DDR [Desmobilização, Desarmamento e Reintegração], que é parte desta reconciliação”.

Enquanto decorre a luta pela paz, continuou, devem ser desencadeadas acções para saúde e desenvolvimento. “É preciso que façamos tudo em simultâneo, porque sem uma coisa não temos a outra”, concluiu.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

África do Sul trava entrada ilegal de moçambicanos no país

África do Sul trava entrada ilegal de moçambicanos no país

As autoridades sul-africanas impediram a entrada ilegal de 40 moçambicanos no seu território, por ocasião do regresso de várias pessoas…
Comissão Mista Angola-Brasil reúne-se entre março e abril

Comissão Mista Angola-Brasil reúne-se entre março e abril

A Comissão Mista Angola-Brasil vai reunir-se entre março e abril para impulsionar as relações de cooperação bilateral.  Esta foi uma…
Timor-Leste: PR diz que Brasil pode apoiar na autossuficiência na agricultura

Timor-Leste: PR diz que Brasil pode apoiar na autossuficiência na agricultura

O Presidente da República de Timor-Leste, José Ramos-Horta, partilhou publicamente que o Brasil pode apoiar o seu país a tornar-se…
Cabo Verde: PAICV comenta abandono da barragem de Canto de Cagarra

Cabo Verde: PAICV comenta abandono da barragem de Canto de Cagarra

Os deputados do PAICV eleitos por Santo Antão alertaram nesta quinta-feira, 05 de janeiro, para a situação de abandono da…