Moçambique: Coordenador da Renamo apela a Filipe Nyusi para que “seja escravo da sua palavra”

O coordenador interino da Renamo, Ossufo Momade, considera que o Presidente da República de Moçambique não está a cumprir com a palavra dada nos sucessivos acordos feitos para alcançar a paz, principalmente no que respeita às questões militares. Momade afirmou em entrevista que se referia concretamente ao facto de os oficiais do partido promovidos por Filipe Nyusi ainda não terem sido colocados em postos.

“No dia 17 de agosto de 2018 foram promovidos 14 oficiais da Renamo que, neste momento, se encontram nas FADM [Forças Armadas de Defesa de Moçambique]. Porém, até ao presente momento, ainda não foram enquadrados nos postos previamente acordados”, afirmou o coordenador da organização política.

O maior partido da oposição de Moçambique exige do Chefe de Estado pontualidade no cumprimento dos acordos alcançados. “Queremos aqui e agora, apelar ao Presidente da República para deixar de fazer jogadas políticas e sobretudo que seja escravo da sua palavra”, sublinhou o representante da Renamo.

A promoção dos 14 oficiais do partido foi realizada através do memorando de entendimento entre o Governo e a Renamo sobre a desmilitarização e a integração das forças do principal partido de oposição no exército. “O memorando indica de forma clara o roteiro sobre os assuntos militares, os passos subsequentes e determinantes para o alcance de uma paz efetiva e duradoura no que tange ao desarmamento, desmobilização e integração do braço armado da Renamo”, disse o Presidente da República na altura do anúncio do alcance do entendimento.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Guiné-Bissau: Governo extingue feriados nacionais e é acusado de violar a lei e a história

Guiné-Bissau: Governo extingue feriados nacionais e é acusado de violar a lei e a história

O Governo guineense através do Decreto nº 1/2023 de 19 de Janeiro determinou que 23 de Janeiro, outrora dia dos…
Moçambique: MONARUMO defende isenção do IVA para água e energia

Moçambique: MONARUMO defende isenção do IVA para água e energia

O Movimento Nacional para Recuperação da Unidade Moçambicana (MONARUMO) comentou a recente diminuição do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA),…
Angola garante usar 77% de energia renovável até 2027

Angola garante usar 77% de energia renovável até 2027

O chefe de Estado angolano, João Lourenço, assumiu o compromisso de o país usar 77% de energia renovável até 2027. …
Cabo Verde: Turismo e privatizações financiam fundo contra pobreza extrema

Cabo Verde: Turismo e privatizações financiam fundo contra pobreza extrema

O turismo e privatizações em Cabo Verde decidiram financiar o fundo MAIS, definido pelo Governo e criado com o objetivo…