Moçambique: Credit Suisse julgado em 2023 no caso “dívidas ocultas”

banco Credit Suisse

O banco suíço de investimentos Credit Suisse vai a julgamento em 2023, no âmbito do processo das dívidas ocultas. Trata-se de mais um durou golpe para esta entidade financeira, numa altura em que a mesma luta para se ver livre de uma sucessão de crises que a afetaram nos últimos anos.

Foi um juiz do Tribunal Superior de Londres, que presidiu a uma ação judicial movida por credores contra o Credit Suisse, quem definiu setembro de 2023 como a data para o início de um julgamento que deverá durar 13 semanas. A informação foi avançada por fontes familiarizadas com o processo.

Este polémico caso volta então ao de cima após oito anos, não abonando nada em favor do Credit Suisse, que ainda tenta sair de duas graves crises que acabaram nas implosões da empresa financeira  Greensill Capital e do Archegos Capital. Essas duas falências resultaram em graves deficiências nos sistemas de gestão de risco e na cultura do banco suíço.

No caso das dívidas ocultas de Moçambique, o Credit Suisse ajudou a conseguir 2 bilhões de dólares norte-americanos em empréstimos e emissões de títulos, que foram parcialmente ocultados do Fundo Monetário Internacional (FMI) e de outros doadores ao país africano.

“O Credit Suisse vinha tentando desesperadamente adiar processos substantivos por muitos anos”, mencionou uma fonte próxima do caso. “Mas agora terá que divulgar os seus próprios documentos e dar provas das suas próprias ações”, prosseguiu.

Andrew Pearse, Detelina Subeva e Surjan Singh, três antigos funcionários do banco, declararam-se culpados em tribunais criminais dos Estados Unidos da América por aceitarem subornos para conseguirem os empréstimos. O Credit Suisse acabou por culpá-los, afirmando que os três visados contornaram as regras de conformidade do banco.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Moçambique: Paramilitares prendem alegados terroristas em Cabo Delgado

Moçambique: Paramilitares prendem alegados terroristas em Cabo Delgado

Um grupo de naparamas, paramilitares moçambicanos, capturou três alegados terroristas no distrito de Ancuabe, localizado na província moçambicana de Cabo…
Goa: Questões ambientais discutidas ao mais alto nível

Goa: Questões ambientais discutidas ao mais alto nível

Uma delegação de Goa, liderada pelo Ministro-Chefe Pramod Sawant, encontrou-se, no final da semana passada, com o Ministro da União…
Angola: Reino Unido contribuiu com mais de 2 milhões de euros para desminagem

Angola: Reino Unido contribuiu com mais de 2 milhões de euros para desminagem

Um financiamento de cerca de 2,3 milhões de euros por parte do governo britânico será atribuído às organizações Mines Advisory…
Moçambique: Governo quer ajudar gestores da LAM a seguirem no caminho correto

Moçambique: Governo quer ajudar gestores da LAM a seguirem no caminho correto

O primeiro-ministro moçambicano, Adriano Maleiane, à margem da cerimónia de apresentação do novo bispo auxiliar da Arquidiocese de Maputo, disse…