Moçambique depende menos de energia importada

Moçambique é um dos maiores produtores de energia elétrica da África Austral, através da Hidroeléctrica de Cahora Bassa. No entanto, até 2016 continuava a importar mais energia de países vizinhos. 

Agora, dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram que o país está cada vez menos dependente de energia importada. A informação foi publicada no “Anuário Estatístico de 2020”

Cinco anos depois de Moçambique ter importado um total de 102,7 Gigawatts (em 2016), a energia importada desceu para 63,9 Gigawatts. Desagregando as importações por país, o INE indica que, da África do Sul (maior fornecedor do país), a importação caiu de 91.9 Gigawatts, em 2016, para 59.8 Gigawatts, em 2020. 

De Malawi, a importação baixou de 7.3 Gigawatts, em 2016, para 3.9 Gigawatts, em 2020. Já do Zimbabué o país tendeu a importar mais, tendo as aquisições aumentado de 3.3 Gigawatts, em 2016, para 4.1 Gigawatts, em 2020. Também Suazilândia contrariou a tendência geral, mantendo o fornecimento em 0,2 Gigawatts. 

A diminuição da dependência de Moçambique face ao exterior a nível de energia poderá dever-se ao aumento da produção interna, através de fontes da empresa pública, Electricidade de Moçambique (EDM). O “Anuário Estatístico de 2020” indica que a EDM produziu em 2016 um total de 83 Gigawatts. Cinco anos depois, a produção aumentou bastante, ao alcançar 906 Gigawatts.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin