Moçambique

Moçambique: Dissidentes da Renamo suspeitos de terceiro ataque

© Pxhere

A província de Sofala foi alvo de novo ataque, tendo quatro veículos sofrido disparos perto do rio Pungoé, na fronteira entre os distritos de Gorongosa e Nhamatanda. O incidente, divulgado agora, ocorreu na passada quarta-feira, 04 de setembro.

O sucedido não causou mortes, mas deixou cinco pessoas com ferimentos graves, estando as mesmas a ser tratadas num hospital. Segundo as informações partilhadas, as viaturas viajavam para o norte de Inchope e continuaram a andar na altura em que estavam a ser alvejadas.

O administrador de Gorongosa, Sabeti Morais, já veio confirmar os ataques, especulando-se que estes possam ter sido efetuados por um grupo dissidente de guerrilheiros da Renamo, autoproclamado Junta Militar da Renamo (JMR), que rejeita a eleição de Ossufo Momade para líder do partido, bem como o recente Acordo de Paz, assinado a 06 de agosto pelo dirigente e pelo Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi.

Recorde-se que a JMR, liderada por Mariano Nhongo, tem uma base nas montanhas da Gorongosa e que a mesma ameaçou inviabilizar as eleições gerais, marcadas para 15 de outubro.

Este poderá ser, alegadamente, o terceiro ataque do grupo. O primeiro ocorreu em meados de agosto, quando uma ambulância que transportava membros da Frelimo, força política no poder, foi atingida enquanto viajava da Gorongosa até Maringue. O segundo ocorreu a 01 de setembro no Posto Administrativo de Nhamadzi, a norte de Gorongosa, onde uma pessoa foi baleada no braço enquanto regressava a casa.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo